Artigos

Nos dias atuais, nesta imensa massa humana que habita a Terra, as palavras: ódio, amor e perdão ainda não são totalmente bem assimiladas pelo ser humano.

O ódio, este sentimento mundano é mais comum do que imaginamos.

As pessoas ocultam este sentimento e guardam-no dentro do coração, inflamando sentimentos e criando mágoas e ressentimentos que se tornam verdadeiros lodos em nosso organismo.

Este sentimento tão bem camuflado é causado pelo ciúmes, inveja, orgulho, desentendimentos mal resolvidos, julgamentos pré-concebidos, entre outras tantas ciladas criadas pelo próprio ser humano.

Causa prejuízos para todos os envolvidos, tanto para quem é alvo dele, como para quem libera este sentimento tão destrutivo.

É através do ódio que se desfazem vínculos familiares e de amizades.

É através dele que se criam inimigos, desafetos por séculos, tanto no plano espiritual, quanto nas vindouras encarnações futuras.

O espírito ainda desconhecedor do amor e do perdão cria uma grande simbiose com seu desafeto, e faz com que esta ligação se perpetue indefinidamente, trazendo-lhe sofrimentos, instabilidade emocional e uma angústia que não lhe permite ter paz.

Leia mais...

– Orson Peter Carrara

 

A propósito das manifestações de rua, atualmente no Brasil, permito trazer ao leitor algumas considerações:

a)      Vivemos um processo de guerra. Não de armas, mas de ideias, de justas discordâncias e questionamentos oportunos. Objetivo final é a liberdade e o progresso, não há dúvidas, em toda expansão que as duas palavras permitem e alcançam;

b)      Se pensarmos bem, cada um de nós traz consigo uma tarefa comum: instruirmo-nos mutuamente, ajudar no progresso coletivo e melhorar nossas variadas instituições;

c)       A liberdade é o direito de proceder conforme nos pareça adequado com a ressalva de que esse direito não vá contra o direito alheio; também é a condição humana necessária para cada um construir seu destino, individual ou coletivamente;

d)      O progresso, por sua vez, é o desenvolvimento, o movimento progressivo da civilização ou a marcha e movimento para diante, ou ainda a caminhada para um estado de coisas cada vez mais de acordo com a justiça e a razão. Ele também pode ser classificado como a aplicação das leis que realizem a maior soma de ordem, bem-estar, liberdade e fraternidade; podemos até definí-lo ainda como a extensão da liberdade.

e)      Para sermos verdadeiramente coerentes, no uso do inevitável progresso, é preciso nos libertarmos da escravidão da ignorância e das baixas paixões ou apetites vulgares, educando-nos moralmente com a aquisição de virtudes ou aprimorando-as.

 

Leia mais...

Orson Peter Carrara

Não é doença, nem indício de desajuste mental ou emocional, embora possa ser confundida como tal por apressados julgamentos. É apenas uma afinação especial da sensibilidade. Como na música, somente funciona de maneira satisfatória o instrumento que não apresenta rachaduras, cordas arrebentadas, desafinadas ou qualidade duvidosa.

O parágrafo que inicia o comentário da semana, com ligeira adaptação, é de autoria do consagrado escritor Hermínio Miranda no livro Diversidade dos Carismas. E prossegue o autor, com minhas adaptações e transcrições parciais para compor o artigo: “(...) Alto preço em angústias, decepções e desequilíbrios emocionais e mentais, perfeitamente evitáveis, é pago a cada instante em consequência da desoladora ignorância em torno da questão (...). E não poucos desajustes sérios ocorrem no próprio meio onde o conhecimento inadequado, insuficiente ou distorcido acaba resultando em problema mais grave do que a ignorância que busca informar-se de maneira correta. (...)”.

Leia mais...

Atualmente há uma proliferação enorme de livros espíritas no mercado editorial espírita.

Não entraremos aqui, na questão dos livros ditos "anti-doutrinários".

Focaremos nossa atenção apenas nos romances espíritas chamados por muitos como "água com açúcar."

Muitos criticam a publicação de romances espíritas pelas Editoras, alegando serem desnecessários estes livros para o Movimento Espírita.

É fato que as diretrizes para se conhecer a Doutrina Espírita são os livros codificados por Allan Kardec, como: O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O livro dos Médiuns, A Gênese, O Céu e o Inferno.

Além destes temos os livros espíritas clássicos, escritos por: Leon Dennis, André Luiz, Divaldo Franco, Yvonne Pereira do Amaral, Raul Teixeira, entre tantos outros excelentes escritores que nos brindam com livros de grande importância doutrinária.

Leia mais...

MENSAGENS GOTAS DE PAZ

Nos dias atuais, apesar de tanta tecnologia a disposição de todos, o ser humano ainda tem dificuldades em ser feliz.

Milhares de pessoas no mundo, atualmente padecem da tal falada depressão.

Pensando em aliviar um pouco os corações aflitos, um grupo de pessoas criou o site www.gotasdepaz.com.br .

O site Gotas de Paz posta diariamente, mensagens edificantes, visando levar conforto, consolo e ânimo a todos que no momento se acham em dificuldades momentâneas.

O site tem em média cerca de 8.000 visitas diárias. Além das mensagens edificantes, quem acessar o site, pode deixar seu nome na “caixinha de vibrações”, onde uma equipe atende através da orientação da Espiritualidade, as mais variadas solicitações das pessoas que estão necessitadas ou com problemas.

Leia mais...

Orson Peter Carrara

São muito justas as alegrias que nos envolvem pela ocorrência sempre grata trazida pelo dia 18 de abril, data comemorativa do lançamento de O Livro dos Espíritos, em 1857, na cidade de Paris. A lucidez da obra, o alicerce granítico dos fundamentos que representa e os desdobramentos próprios de sua grandeza oferecem perspectivas inesgotáveis para o progresso intelecto-moral da humanidade.

Selecionei pequenos trechos em algumas respostas das questões da obra para saudar a data (a numeração que antecede o texto é o número da pergunta no livro):

a)      826 – “(...) Desde que haja dois homens juntos, eles têm direitos a respeitar e não têm mais, por conseguinte, liberdade absoluta”.

b)      837 – “(...) A liberdade de consciência é um dos caracteres da verdadeira civilização e do progresso”.

c)       851 –“(...) para o que é prova moral e tentações, o Espírito, conservando seu livre arbítrio sobre o bem e sobre o mal, é sempre senhor de ceder ou resistir (...)”.

d)      860 – “(...) Ademais, para fazer o bem, como o deve ser, e como isso é o único objetivo da vida, pode impedir o mal, sobretudo aquele que poderia contribuir para um mal maior”.

Leia mais...

 

Muito tem se falado em caridade, fraternidade, solidariedade e amor ao próximo. Lindas palavras inspiradas e trazidas ao longo dos séculos pelo maior exemplo que surgiu na Terra: Jesus.
Exemplos que podemos e devemos seguir, mas a grande dúvida é como realizá-lo.
Nos dias atribulados de hoje e na correria do dia a dia, não sobra tempo para se dedicar a Solidariedade.
O cansaço após um extenuante dia de trabalho e a dedicação com a família não permite tal proeza.
Mas então o que fazer?
Engana-se quem imagina que a Solidariedade possa ser feita fora do lar e nosso ambiente social.
Não é necessário que se desloque até uma Instituição beneficente para realizar algum trabalho voluntário.
Seria extremamente valoroso este gesto, já que as Instituições Beneficentes lutam bravamente para se manter e auxiliar os mais necessitados.

Porém, a solidariedade não se resume apenas à parte material.
A solidariedade é bem mais ampla e todos tem condições de realizar.
É o tão falado Amor ao próximo, que infelizmente, poucos conseguem vivenciar.
A maioria das pessoas não consegue expressar este sentimento tão necessário a humanidade.
O amor ao próximo é simples e fácil de desenvolver e não requer grandes esforços.
É pelo respeito mútuo a todos os semelhantes que se pode iniciar este dom.
Tente iniciar seu dia ao levantar-se da cama, agradecendo ao Pai da Vida pela benção de mais um dia.
Observe a natureza a sua volta e sinta a beleza deixada pela Divindade Maior.

Leia mais...

Orson Peter Carrara

Ele veio para ensinar, exemplificar. Vida simples, mas cheia de grandeza, de abnegação e sacrifício, e deixou traços que não se apagam. Sua figura ultrapassa todas as concepções do pensamento. Eis por que não pode ela ter sido criada pela imaginação.

De serenidade incomparável, não se nota mácula nenhuma, nenhuma sombra, deixando claro que todas as perfeições se fundem, com uma harmonia tão perfeita que se nos afigura o ideal realizado.

Sua doutrina, toda luz e amor, dirige-se sobretudo aos humildes e aos pobres, a essas mulheres e homens curvados sobre o planeta, a inteligências esmagadas ao peso da provação e do sofrimento, em palavra de vida que as deve reanimar e consolar.

E essa palavra lhes é prodigalizada com tão penetrante doçura, exprime uma fé tão comunicativa, que lhes dissipa todas as dúvidas e os arrasta a seguir em tais pegadas.

Na verdade sua finalidade era colocar ao alcance de todos o conhecimento da imortalidade e da paternidade comum, cuja voz se faz ouvir na serenidade da consciência e na paz do coração.

Pouco a pouco tais ensinos, transmitidos verbalmente nos primeiros tempos, se alteram e sofrem adulterações sob influência de correntes opostas, que agitam a sociedade através do tempo.


Seus continuadores, escolhidos por Ele mesmo, muito bem o tinham sabido compreender; haviam recebido o impulso de sua vontade e de sua fé. Mas seus recursos intelectuais eram restritos à época em que viveram e não puderam senão conservar, pela memória do coração, as tradições, os pensamentos morais e o desejo de regeneração que lhes havia Ele depositado no íntimo. Na jornada que empreenderam, através do tempo, formaram, de cidade em cidade, grupos de cristãos, aos quais revelaram os princípios essenciais; depois alcançaram outras regiões.

Nestes momentos difíceis para a humanidade, a ÚNICA solução está Nele mesmo: Jesus de Nazaré! Não há alternativa de construção, ou reconstrução, da dignidade, do caráter, da solidariedade e da fé autêntica.

Mais que títulos que dividem a compreensão da fé, de incomparável autenticidade – desde que devidamente a conheçamos –, do exemplo de vida, dos ensinos e da potente força oriunda de sua doutrina, alcançamos uma época tal de maturidade intelectual que nos convida a estendermos as mãos uns aos outros, ao invés de nos debatermos em idéias localizadas ou motivadas por tolo egoísmo.

A clareza de sua doutrina, exaltando a imortalidade, apresentando o Pai comum e convidando ao amor (em toda a sua extensão), deve ser a alavanca de nosso ideal de vida; deverá constituir nossa maior motivação, será a fonte de orientação, consolo e coragem diante dos desafios naturais da vida humana. É luz, brilhante farol, a iluminar nossos caminhos; orientação segura que nos dirige, para nos reerguermos de nossos fracassos e limitações e exaltarmos o valor extraordinário da vida e de suas experiências.

Isto tudo convida à conjugação de verbos essenciais para a felicidade e paz que desejamos construir: trabalhar, solidarizar-se, tolerar. Sim, trabalho, solidariedade e tolerância. No alto sentido de compreendermo-nos uns aos outros, de estendermos nossas mãos. Afinal, todos, mas todos mesmo, precisamos muito uns dos outros...

E, por sermos tão iguais e tão diferentes, ao mesmo tempo, em todas as situações e circunstâncias, é que nos cabe o dever da mútua compreensão, mútua tolerância, mútuo trabalho e mútua solidariedade. Há outro caminho?

Ele é o modelo e guia para a Humanidade. Esforcemo-nos para segui-lo, mais que a rótulos ou divisões humanas.

Orson Peter Carrara

Ele veio para ensinar, exemplificar. Vida simples, mas cheia de grandeza, de abnegação e sacrifício, e deixou traços que não se apagam. Sua figura ultrapassa todas as concepções do pensamento. Eis por que não pode ela ter sido criada pela imaginação. De serenidade incomparável, não se nota mácula nenhuma, nenhuma sombra, deixando claro que todas as perfeições se fundem, com uma harmonia tão perfeita que se nos afigura o ideal realizado.

Sua doutrina, toda luz e amor, dirige-se sobretudo aos humildes e aos pobres, a essas mulheres e homens curvados sobre o planeta, a inteligências esmagadas ao peso da provação e do sofrimento, em palavra de vida que as deve reanimar e consolar.

E essa palavra lhes é prodigalizada com tão penetrante doçura, exprime uma fé tão comunicativa, que lhes dissipa todas as dúvidas e os arrasta a seguir em tais pegadas.

Leia mais...

Em pleno século 21, num momento de grande transição planetária, o ser humano se encontra enraizado em torno dos mais variados preconceitos, entre eles o preconceito religioso e o preconceito contra o ser humano.

Deus concedeu ao espírito, o livre arbítrio para que o ser humano fizesse sua opção de escolha e caminho a seguir que melhor lhe aprouver.
Muitas dúvidas se encontram nesta questão, pois a maioria das pessoas usa o livre arbítrio erroneamente, e aí fica a pergunta que não quer calar:
O que é certo e errado?

A bússola que nos guiará para o caminho do bem, chama-se consciência.
É fato comprovado que a religião não muda interiormente o homem, mas sim, sua reforma íntima e as escolhas e atitudes que toma durante a vida, para torná-lo um homem de bem.
A religião apenas socializa o homem, tirando-o de seu isolamento interior, colocando-o em convivência com suas afinidades.

Leia mais...

– Orson Peter Carrara

Agora que a poeira assentou, dirijo-me aos leitores que me perguntaram sobre o lamentável e duro episódio de Santa Maria-RS. Também, como qualquer ser humano, comovi-me às lágrimas diante do episódio tão comovente e cortante ao coração.

As especulações foram muitas, as notícias fartamente exploradas, muita bobagem foi dita tentando explicar o acontecimento. O fato é que vários fatores, e nem é preciso repetir aqui, desencadearam a tragédia. E não adianta agora procurar culpados, é um fato consumado. Deixemos que o tempo responda às nossas dúvidas doídas.

O que é importante nesse momento é a vibração amiga em favor dos pais, cortados pela dor que não podemos imaginar. A prece em favor deles é, aliás, nosso dever, para que sintam ao menos o conforto da solidariedade.

Não temos condições de fechar a questão, pois nos faltam informações que fogem à alçada de simples mortais e limitada condição humana. Por mais que tentemos explicar, sempre faltará um componente cuja origem desconhecemos. Aliás, todos desconhecemos a história de cada vítima, de cada família, de cada jovem que ali sucumbiu. E não me refiro à história presente, mas à bagagem trazida de outras experiências.

Leia mais...


Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

 

Pesquisa

Receba o Informativo

  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

PodCast do Miécio

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/ooZ0N1)     No...

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/LT27eq)     No...

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/5V1Vug)     No...