Vania Mugnato de Vasconcelos é curitibana, casada há 15 anos com o Engenheiro Químico Ricardo e mãe de um garoto de 12 anos, chamado Thiago. Reside no interior de São Paulo, na cidade de Jundiaí, há 9 anos, é colaboradora do Centro Espírita João Batista, no Bairro do Anhangabaú, dentre outros nos quais é palestrante frequente. Esposa, mãe, espírita e idealista, fez magistério, é Assistente Social, pós-graduada em Recursos Humanos e estudante de quarto ano do curso de Direito, atualmente também Estagiária da Defensoria Pública do Estado na área de Família e Sucessões.

Palestrante há cerca de 10 anos, Vania volta a contribuir com o Instituto Chico Xavier, desta vez no Seminário Família – Desafio e Importância em nossas vidas, que acontecerá em Itu – SP no dia 05.10, abordando o tema “O lar, os valores morais e os desafios do mundo. "

Saiba mais sobre a palestrante e o tema que abordará, acompanhando a entrevista abaixo.

  1. 1. Há dois anos você vem realizando Seminários em parceria com o Instituto Chico Xavier. Como foi para você estes dois anos de parceria?

Antes de qualquer coisa, sou extremamente grata ao Instituto, pela confiança e oportunidades. O ICX me fez ampliar horizontes... trouxe-me possibilidades novas, contato e amizade com outros palestrantes de qualidade, muito dedicados e de índole nobre.  O mundo se tornou maior depois que eu, simples palestrante de uma cidade do interior, percebi que meus ideais têm parceria com outros idealistas!

  1. 2. Você tem realizado palestras por toda região de São Paulo. Como você entende que está sendo realizada a divulgação da Doutrina Espírita por onde passa?

Os espíritas continuam sendo muito receptivos às palestras, divulgam, dizem que querem participar, mas noto um aumento do seu comodismo. Explico: por mais que os temas empolguem, que muitos perguntem se haverá como assistir ou ouvir a palestra virtualmente, no dia e hora poucos aparecem para compartilhar momentos de fraternidade e conhecimento; as casas espíritas raramente lotam se o palestrante não for autor de um livro ou orador do naipe de um Divaldo. Frio, chuva e tardes de sábado também não são nada estimulantes aos espíritas... o que me faz ponderar que talvez estejamos perdendo um pouco da essência, do sentido de realmente estarmos na Terra. Quando pequenos contratempos nos colocam rapidamente no lugar mais cômodo ou quando nos estimulamos muito mais pelas aparências, é hora de nos preocuparmos.

3.
Você está cursando o 8º semestre de Direito e estagia na Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Você acredita que seus conhecimentos espíritas podem ser úteis em sua profissão?

Uma pessoa verdadeiramente comprometida com Doutrina Espírita não consegue deixar de agir no mundo de acordo com o que essa fé e conhecimentos ensinam. Sou bastante direta em dizer que espírita que só age como tal no centro espírita, é só mais um hipócrita religioso, afinal temos o Cristianismo e a Moral Espírita como orientadores de atitude e atitude se deve ter no mundo. Sou uma pessoa comum que se equivoca muito ainda e por isso tem que correr atrás do prejuízo, mas considerando que procuro exercitar intensamente o “ser espírita”, não posso simplesmente desconsiderar o relacionamento que o profissional do Operador do Direito pode e deve ter se os valores espíritas são seu guia de conduta.

4.
Nos últimos tempos, o Brasil tem passado por um momento de grande transição. Qual o papel do espírita/cristão em toda esta mudança?

O Espiritismo esclarece que tudo progride na natureza. E explica também que o homem é colaborador da obra de Deus para esse progresso. Se o tempo da Terra chegou, de ser mundo regenerador, o ser humano tem responsabilidade de, no mínimo, não impedir que isso aconteça. O momento atual do Brasil finalmente é de despertamento, espero que intenso e duradouro, não apenas fogo de palha e modismo. No entanto, devemos ficar alertas, pois as forças do mal – material e espiritualmente ativas – não calarão diante do impulso de mudar e exigir mudanças; infelizmente não é preciso muita coisa para nos abafar a empolgação. Quantas boas pessoas, dignas, esqueceram que fora dos campos de futebol onde o Brasil jogava a Copa das Confederações, estava havendo verdadeira guerra entre os que pleiteiam direitos e os que pretendem manter os abusos? E quantos já estão preocupados com a Copa do Mundo, calando a energia da cidadania que tenta renascer das cinzas do brasileiro? O espírita, mais que todos, deve sair à frente nas ruas, deve dizer o que pensa sabendo que suas palavras são ações cujas reações também são de sua responsabilidade; porém, menos que os outros, tem agido como cidadão, numa ilusão de que pessoa de fé não deve politizar-se sob pena de corromper-se. Seremos cobrados por nossa inação.

5.
Qual deve ser o papel dos pais perante a educação moral e espiritual dos espíritos que são colocados sob a sua responsabilidade?

Os pais, diz o Espiritismo, serão cobrados pelo que fizeram de seus filhos. Filhos são espíritos milenares com os quais os genitores ou cuidadores se comprometeram em guiar, orientar, educar, amar, ensinar valores. Não é só questão de cumprir a obrigação cotidiana de alimentar, vestir, mandar para a escola! É o exemplo do amor, são os valores morais que devem ser ensinados e praticados, uma vez que palavras só são poderosas quando acompanhadas de atos que as corroborem. Mas, infelizmente, muitos pais acreditam que apenas cumprir com os deveres de ordem material é suficiente e quando têm tempo junto aos filhos, comumente permitem que a televisão lhes ensinem o que é ser gente no mundo; os valores da sociedade estão invertidos e deixam que novelas mostrem a almas maleáveis à educação, o que é o normal na sociedade, esquecendo que o “normal” nem sempre é o natural e correto moralmente.

6.
Vemos atualmente muitos jovens envolvidos nos mais diversos vícios. Qual a responsabilidade dos pais para evitar isso?

Como sinalizado acima, é responsabilidade vital, fundamental, imprescindível a dos pais! Na atualidade, dificilmente nossos filhos não terão a oportunidade de verem-se frente a frente com as drogas, muitas vezes pelas mãos de um amigo, às vezes deles próprios, pois cigarro e álcool estão em muitos lares como estimulantes de sociabilidade. Amar com firmeza, ensinar o que são as drogas, dialogar para permitir que se sintam a vontade para abrir o coração, tudo isso é diferencial que pode evitar a drogadição de nossos filhos. Claro, eles são espíritos com livre-arbítrio e por mais amados e educados que sejam, ainda terão a decisão de aceitar ou não o vício em suas vidas; mas, diminui vertiginosamente o número de filhos drogados em famílias com valores morais, de fé, unidas pelo respeito e participação ativa na vida uns dos outros.

7.
Como os pais podem manter a harmonia moral e espiritual dentro do lar?

Além de desligarem a televisão e dialogarem muito? Recomendamos o Evangelho no Lar como um processo de harmonização do ambiente familiar que ajuda muito! Não só os espíritas podem fazê-lo, é momento de aproximação com Deus através de estudos e preces. Basicamente o roteiro, muito simples, é o compromisso semanal que a família cria com a espiritualidade em dia e hora marcada, onde por 20 ou 30 minutos apenas faz-se prece convidando Deus e os bons espíritos a estarem em nosso lar, depois estudamos pequeno trecho de obra de qualidade moral, em geral O Evangelho Segundo o Espiritismo. Todos escutam a leitura, comentam o que entenderam, e, ao final, encerramos a reunião com preces pelo lar, pelos familiares, pelo mundo, pela paz universal e o que mais desejarmos... O evangelho no lar é a porta aberta ao Cristo, para adentrar e permanecer em nossas casas, nos intuindo e fortalecendo para vencer as dificuldades e acertar nas decisões da vida. Ah, em tempo, crianças podem e devem participar! Eles aprendem que são parte da família, compreendem como devem comportar-se e mais, há excelentes obras para essa atividade, focadas para idades infantis! Falo isso com a experiência própria da maternidade, pois meu filho acompanha o nosso evangelho no lar desde que nasceu e nunca prejudicou o andamento dos estudos, compreendeu intuitivamente a gravidade do momento.

8.
A maioria dos seres humanos apenas passa pela vida sem vivê-la intensamente, principalmente no sentido espiritual e fraternal. Sendo assim, qual o exemplo que os pais podem dar a seus filhos para mudar esta situação?

Praticar o que falam! Pais têm o péssimo hábito de acreditar que basta falar e os filhos devem apenas obedecer. Mas, um dia, os filhos perceberão que eles não são super heróis infalíveis, que erram e começarão a questioná-los em tudo! Só o exemplo provará aos filhos que aquilo que ensinavam era correto - estamos aqui falando principalmente de questões morais. Um pai que diz para o filho não falar palavrão, mas xinga no trânsito, ou uma mãe que diz para não mentir, mas mandar dizer que não está quando toca o telefone, não são mais do que exemplos negativos que prejudicam muito a questão ética e espiritual dos seus filhos. Se os pais têm fé religiosa, o que ajuda muito na educação moral, devem praticá-la com amor... o que vemos, no entanto, são pais que dão desculpas fúteis para não irem ao centro espírita levar seus filhos à evangelização, mostrando pelos atos que a vida moral e espiritual é menos importante que dormir até tarde, sair para o futebol ou ir para a churrascada do final de semana.

9.
Muitos pais não se preocupam em apresentar uma religião para seus filhos. Qual a importância da Evangelização da vida das crianças e jovens?

As crianças e jovens não vão à escola para entender a vida? A evangelização é a escola que explica a vida espiritual, que coloca as crianças em contato com amiguinhos que têm o mesmo tipo de educação, o que os fortalece, pois é mais fácil ser bom entre os bons, ter fé entre os que também acreditam. Na evangelização as crianças são estimuladas a raciocinar a fé, entender por qual sabemos que Deus existe, porque o amor é o caminho, qual o sentido da vida e morte de Jesus. Indispensável como reforço ao que os pais ensinam em casa.

10. Como educar filhos conscientes de valores morais e espirituais?

Pelo exemplo!

11. Deixe suas palavras finais ao leitor do site do Instituto Chico Xavier.

O Espiritismo é um método educativo da alma. Consola-nos dando sentido para a vida, inclusive explicando por quais motivos sofremos tanto na Terra. O mais importante é aplicar tudo o que aprendemos. Porém, ao contrário, vemos que as pessoas acham as frases e obras espíritas lindas, acreditando que servem sempre ao próximo, não a si mesmas. Não raro vemos espíritas lendo um texto que explica certos comportamentos, ou ouvindo uma palestra e comentando “fulano deveria ler ou ouvir”. Só que esquecem que quem está lá é ele! Paremos de justificar que tudo serve para o outro e comecemos a aplicar em nós. Sou eu que tenho que mudar. É você, que me lê, que tem que mudar. O mundo repercute o que somos e essa é mais que uma verdade moral, é uma verdade científica! Quando deixarmos de nos preocupar tanto com o que o próximo é, pensa ou faz, e começarmos em focar no que somos, pensamos ou fazemos, então o mundo será um pouco mais feliz!

Por: Rita Ramos Cordeiro


Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

 

Pesquisa

Receba o Informativo

  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

PodCast do Miécio

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/ooZ0N1)     No...

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/LT27eq)     No...

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/5V1Vug)     No...