Orson Peter Carrara – O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Teatro, contos, inspiração mediúnica e lúcida visão espírita

Com inspirado livro de contos recém-lançado, a experiência com o teatro e opiniões bem fundamentadas, entrevista é muito oportuna

GUARACI DE LIMA SILVEIRANatural de Oliveira Fortes-MG e radicado em Juiz de Fora-MG desde 1966, Guaraci é espírita desde a infância e com orientação da “Casa do Caminho”, na mesma cidade onde reside, pode equilibrar a mediunidade e estudar o Espiritismo com dedicação. Vinculado ao movimento espírita da cidade e mais particularmente à Associação Espírita Paz e Amor, onde atua na mediunidade, é também palestrante e possui dois livros publicados: Navegador Racional, de poesias (1999, pela Minas Editora) e Destinos, Marcas e Respostas, de contos (2011, Mythos), ambos psicografados, além de duas centenas de peças teatrais – sendo que três delas estão publicadas em livros e são comercializados pela Editora Eletrônica Gato Sabido: Reencontro - O aborto sob a visão espírita, As Caudas do Dragão - Peça Infantil e Aquarela de Luz - Educação para o Trânsito. As lúcidas respostas à nossa entrevista trazem preciosas orientações.

1 - De onde e como surgiu a vontade de escrever contos?
Quando jovem, escrevia contos e os lia em reuniões culturais na Sociedade Luso Brasileira desta cidade. Percebi que era muito bom fazê-los. Lembro-me de um que se chamava: "A Felicidade Existe". Teve boa repercussão naquela época. Depois o teatro entrou prá valer em minha vida. Deixei os contos um pouco de lado. Um dia recomecei a escrevê-los e os adaptar para o palco. Um deles: ”Estranha Caixa” foi premiado num Festival de Teatro desta cidade. Outros eu os montava e apresentava em Centros Espíritas. Recentemente tenho mais de 120 contos escritos, distribuídos em sete livros, a serem publicados, sendo que o primeiro acaba de sair: Destinos, Marcas e Respostas - Contos inspiradores para elevar a alma. O conto Suarrina, que faz parte dessa Obra, também teve montagem para o teatro.

 

 

2 - E qual a inspiração para sua elaboração?
Ligo o computador, entro no Word, configuro a página e deixo acontecer. Também me emociono à medida que a história vai surgindo.. Não as elaboro. Elas vão surgindo. Ouço frases inteiras e as transponho para a tela. Assim tem sido atualmente. Geralmente os mentores me falam o tipo de Obra a ser escrita. Por exemplo, acabei de escrever dezoito contos que farão parte do livro: "Tocados Por Ele". São dezoito momentos de pessoas anônimas na história e que tiveram algum tipo de contato com o Mestre Jesus quando da Sua vinda ao Plano Físico. Antes fui emocionalmente preparado, pois que as histórias são envolventes e comovedoras.

3 - No seu contato com o Espiritismo, o que mais lhe chamou a atenção?
Várias situações. Quando entrei no Centro Espírita para valer, eu havia escrito antes uma carta ao Chico Xavier. Na carta eu o pedia que me orientasse, principalmente sobre como conviver com minha mediunidade ostensiva. Chico não me respondeu formalmente, contudo, seis dias depois um senhor, até então desconhecido, levou-me a uma casa espírita que naquela época me acolheu. No primeiro dia de reunião pública, sentei-me na cadeira e perguntei mentalmente: "Jesus quem é o Senhor"? Ato contínuo a reunião pública teve início e a diretora dos trabalhos, Da. Isabel, a inciou dizendo: "Jesus é aquele irmão que na hora das nossas dificuldades, arregaça suas mangas e nos ajuda a caminhar". Percebi que a resposta era direta para mim. Finalmente poderia conviver com o Mestre de maneira mais concreta. E também admiro na Doutrina Espírita o seu empirismo e a possibilidade que temos de estudá-la, estudando o comportamento humano não só de hoje, mas também o de todas as fases e ciclos da história deste planeta.

4 - E hoje, após décadas de convivência espírita, que visão você tem dos progressos alcançados pela ideia espírita junto à mentalidade humana?
Vejo com alegria contida. A Doutrina é muito rica e poucas pessoas querem mergulhar nesse oceano de luz. Muitos ficam nas periferias. Lembro-me de Emmanuel quando disse: "Para começar o entusiasmo basta, mas para prosseguir é necessário algo mais". Acredito, contudo, que com o passar dos anos os homens se conscientizarão melhor deste tesouro que Jesus permitiu chegasse até nós.

5 - Como é sua percepção do auxílio espiritual quando escreve?
Eu me entrego aos escritores do mundo espiritual. Tenho com eles uma convivência plena. Desde criança eu os via. Aos seis anos comecei a ver e falar diretamente com os espíritos desencarnados. Hoje, quando escrevo, eles estão ao meu lado ditando o texto. Não sou médium mecânico. Toda a informação passa pela minha mente. O trabalho sai com naturalidade.

6 - Em sua forma de ver, como os contos podem ajudar o ser humano a compreender mais a vida e seus mecanismos?
Pequenos traços muitas vezes enriquecem toda uma tela e marcam profundamente os olhos e os sentidos de quem as aprecia. Assim são os contos. Pequenos momentos de imersão num fato, numa história que podem ajudar com mais intensidade. Também escrevo romances. Eles enriquecem os detalhes. Os contos trazem o fato diretamente do emissor ao receptor. A apreensão mental de um conto faz-se com mais facilidade e sua conclusão pode ser mais detalhada pela mente de quem o leu. Ou seja, age no sentido inverso do romance. Ambos são formas literárias belíssimas. Os contos dão um recado na porta do visitado. Os romances entram e tomam com ele um copo de suco.

7 - E o teatro em sua vida? 
Comecei aos oito anos, em 1958. Sempre fui e sou apaixonado pela dramaturgia. Já escrevi dezenas de Peças espíritas, infantis e empresariais. Com um vasto currículo de apresentações em inúmeros municípios brasileiros, dedico-me atualmente a dirigir espetáculos teatrais que eduquem. Sou fundador do ART-VIDA - Grupo de Teatro Educativo. Aproximadamente 400 entidades públicas e privadas já contrataram nossos serviços. Hoje escrevo peças teatrais para o mundo empresarial e o movimento espírita, tanto infantil quanto para o público adulto. Tenho a felicidade de ter visto sair no livro da história do teatro de Juiz de Fora, publicado pela Secretaria de Cultura daqui, o nosso nome vinculado como sendo o primeiro grupo de teatro espírita desta cidade. Isto me gratificou muito.

8 - Como tem sentido o público ouvinte em suas palestras?
Não entrando ninguém ou não passando ninguém na frente do público a atenção é toda voltada para as informações que passamos. Infelizmente o público ainda se dispersa durante as exposições. Se entrar alguém desviam com facilidade seus olhares. E olha que, em tese, as palestras são rápidas. Mas sempre existem aqueles que fixam a atenção naquilo que expomos. Depois nos procuram e trocam informações tirando suas dúvidas. Acho um trabalho necessário e enriquecedor tanto para quem o faz quanto para quem o absorve.

9 - Qual a maior necessidade do público participante das reuniões públicas nos centros espíritas, em sua visão?
Envolver-se plenamente com o que está sendo dito. O expositor prepara o estudo e o leva para que o público possa entender melhor determinado ponto. Já ouvi diretor de centro espírita dizer que palestras são desnecessárias. Que pena! Sempre que não estou na tribuna, estou na platéia. Assisto ou faço palestras todos os dias e, todos os dias, me enriqueço com elas. O público precisa estar mais atento. Só assim poderão opinar com justiça e sabedoria quando questionados ou postos em situações de conflitos naturais para seus crescimentos.

10 - Algo mais que gostaria de acrescentar?
É magnífico estar reencarnado! É exuberante estar reencarnado e estudando a Doutrina Espírita. Sem ela a vida fica menor. As capacidades cognitivas um tanto carentes. Gostaria de dizer para todo mundo o bem que o espiritismo fez e faz em minha vida. Tornou-me um ser consciente e entendedor da necessidade da cristianização.  Ser espírita é sair do rótulo de cristão e partir para ações conscientes e equilibradas. Assim deve ser. Agradeço profundamente a Allan Kardec, Chico Xavier, Divaldo Franco e tantos outros, bem como aos mentores espirituais que trabalham em prol do nosso progresso mental e espiritual.

10 - Suas palavras finais
São de agradecimento, principalmente pela oportunidade do contato com os leitores. Peço a Jesus que envolva os leitores em suas bênçãos. Digo aos leitores, que pesquisem, questionem, proponham. O espiritismo é luz que aumenta de intensidade à medida que nos aprofundamos, diferentemente de túneis escuros que ficam ainda mais escuros quando insistimos em nossos preconceitos e posturas vencidas porque arcaicas e enraizadas.


Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

 

Pesquisa

Receba o Informativo

  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

PodCast do Miécio

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/ooZ0N1)     No...

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/LT27eq)     No...

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/5V1Vug)     No...