Se você tem o hábito de fazer a oração Pai Nosso, já deve ter repetido em suas preces, inúmeras vezes, um pedido ao Criador do qual, muitas vezes, não nos damos conta.

Ao atender o pedido dos Apóstolos para lhes ensinar a orar, Jesus sintetiza em o Pai Nosso, as possibilidades da oração: o louvar, o agradecer e o pedir.

Porém, poucos são os momentos em que meditamos profundamente nos pedidos que fazemos a Deus, a cada vez que recitamos o Pai Nosso.

Quando dizemos: Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como nos Céus, é o pedido para que tudo ocorra conforme a Vontade do Pai.

E incoerentemente, algumas vezes brigamos com o Criador, porque nosso pedido não se realiza.

De maneira insensata, maquinalmente, repetimos o pedido para que Sua Vontade se faça, mas não construímos no coração a capacidade de aceitar a Vontade de Deus.

Ao desejarmos que a Vontade de Deus se faça, em detrimento da nossa, temos que entender e sentir, profundamente, Deus como nosso Pai.

O que nos levaria a abrir mão da nossa vontade em nome de uma outra vontade?

Somente a certeza de que essa Vontade é mais sábia, mais ponderada e mais adequada para nós.

Ao desejarmos que se realize a Vontade de Deus, estamos expressando o desejo de que o Seu amor paternal seja a tônica e a regra de nossa existência, não importando como isso irá se expressar em nossa vida.

Desta forma, há que se entender que os desígnios da vida, a nos oferecerem situações desafiadoras, são a Vontade do Pai que se faz, ensejando a oportunidade do aprendizado de Suas Leis.

Assim, não faz sentido revoltar-se quando a doença surge, demandando coragem, paciência e perseverança na busca da saúde.

Quando o amor parte para o outro lado da vida, nos antecipando na viagem de retorno ao lar, não haverá porque insurgir-se, questionando a justiça da dor das saudades, que nos rasga o peito.

Se o revés financeiro nos chega, se a dificuldade familiar se instala, se o ambiente profissional se mostra difícil, é necessário refletir.

Soberanamente bom e justo, Deus entende que a vida é oportunidade de grande monta, que não deve ser desperdiçada sem o aprendizado.

Assim, as dores, as dificuldades, os desafios são lições que a vida, sob os desígnios de Deus, nos oferece, a fim de compreendermos, a cada passo dado, um pouco mais das Suas coisas.

Portanto, ao pedirmos a Deus que seja feita a Sua Vontade e não a nossa, compreendamos, na intimidade da alma, que a Sua Vontade, os Seus desígnios são sempre pautados no Amor de Suas Leis.

E por Amor, Deus nos oferece oportunidades de aprendizado, fazendo com que sejam enriquecedores os anos que estejamos aqui, a fim de que a vida cumpra seu desígnio maior para cada um de nós.

 

Redação do Momento Espírita.


Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

 

Pesquisa

Receba o Informativo

  1. Nome
    Digite o seu nome
  2. Email(*)
    Digite o seu email
  3. Captcha
    Captcha
      RefreshInvalido

PodCast do Miécio

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

PodCast Espirita no. 20 - Obsessão, desobsessão

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/ooZ0N1)     No...

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

PodCast Espirita no. 19 - Mudanças na terra, como agir?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/LT27eq)     No...

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

Podcast no.: 18 - Deficiências, por quê?

  .. Download   No computador     Download mp3 (https://goo.gl/5V1Vug)     No...