Por: Geane Lanes

Todos nós emanamos e recebemos energias, as quais se originam de nossas ações e, principalmente, de nossos sentimentos e pensamentos.

Essas energias formam um campo de emanações eletromagnéticas que envolve o indivíduo e se interliga com outros campos afins, (positivos ou negativos). Comumente conhecido como aura ou psicosfera, quando o campo eletromagnético de um indivíduo se conecta ao de outros (encarnados e desencarnados), cria-se uma atmosfera psíquica maior, o que pode influenciar na psicosfera planetária.

Quanto maior e mais intensa é a psicosfera, maior será a probabilidade dos indivíduos presentes no ambiente se contagiarem pelo tipo de energia que a compõem. No caso de uma psicosfera formada por emanações negativas ou imprudentes, indivíduos mais invigilantes podem se deixar contaminar por tais energias, de forma a se permitirem ser influenciados por elas e a contribuir para se intensifiquem. Por outro lado, uma psicofera composta por emanações positivas torna o ambiente mais leve e alegre, podendo contagiar os indivíduos presentes, auxiliando na transmutação de pensamentos e sentimentos.

Em períodos de extrema revolta e medo, como ocorre durante as guerras, a psicosfera planetária tende a se tornar mais densa e obscura, enquanto nos momentos em que a esperança e o amor são cultivados, como geralmente acontece no natal e em outras datas similares, a psicosfera planetária ganha maior leveza e beleza.
Avalie os seus pensamentos e ações e reflita sobre qual tipo de psicosfera você deseja fazer parte e a ajudar a construir.


A vida de Chico Xavier