fbpx
HomeInformativoGente que faz e aconteceO que estou fazendo aqui?
Sábado, 26 Outubro 2013 01:25

O que estou fazendo aqui?

Entrar no Instituto de Oncologia Pediátrica (Hospital do Câncer Infantil do GRAACC) hoje é fácil. Na primeira vez com o meu filho não foi. Eu já havia ido lá para tratar de uma parceria profissional e tinha achado o lugar meio encantado. Sabe aquela poesia que a gente enxerga quando lida com um problema que não é nosso? Crianças valentes, esperança e muita cor – isso era tudo o que eu via.

No dia em que levei meu filho para a primeira consulta tudo estava diferente. Não lembro de cor e também não lembro de esperança. Quando entrei na porta senti que meus pés já não tocavam o chão. Crianças carecas, amarelas, algumas chorosas, mães cansadas e muito, mas muito mais gente do que eu gostaria de ver. O lugar estava lotado. Pra todos os lados que eu olhava eu via a criança na qual eu não queria que meu filho se transformasse. Por que eu tinha que ir parar ali? Eu queria ir embora. Dei meu nome, fiz o cadastro, resignada. Pronto, agora meu filho tinha um prontuário “naquele lugar”.

Mantive distância de outros pacientes, ainda sem aceitar a situação. Eu observava. 

Uma adolescente bem magra vomitava muito na cadeira da quimioterapia e brigava com a mãe como se ela fosse a responsável por sua doença. Pobre mãe, eu pensei – ainda tentando me sentir falsamente distante daquele mundo “triste”. A realidade desabou na minha cabeça quando cheguei na porta da sala onde o Lorenzo seria tratado. Crianças com retinoblastoma. Várias. Sequelas. Várias. Me sentia em um inferno. Eu não queria estar ali. Eu não queria que meu filho estivesse ali. Olhei pra ele e vi aquele jeitinho inocente. Tontura. Me encostei na parede e baixei a cabeça. Lágrimas, muitas lágrimas caíram, mas procurei disfarçar para não chatear as mães das outras crianças.


No meio daquela confusão uma mulher se aproximou, parou ao meu lado sem me olhar diretamente e disse no meu ouvido: “Calma, tudo vai passar e seu filho vai ficar bem. Eles precisam da gente forte”. Quando levantei a cabeça ela já tinha se afastado, mas tive tempo de perceber que era a mãe da adolescente que vomitava. Uma mulher simples, de rosto sofrido. Estava de volta ao lado da filha. Me deu um olhar de cumplicidade e se virou para ajudar a menina. No meio de tanta dificuldade, não sei de onde aquela mulher tirou energia para me consolar, como encontrou tempo para observar a tristeza de outra pessoa…


Naquele momento me senti conectada com todas as mães ao meu redor. Todas lutando por seus “bebês”. Aos poucos as cores foram ficando mais vivas, a esperança mais próxima. Senti vergonha da minha fraqueza (“Eles precisam da gente forte”) e muito amor por todas as pessoas que me cercavam.


FONTE: http://meufilhocomcancer.wordpress.com/page/2/


A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Atividade Noturna do Espírito (Desdobramento)


    Imagem Divulgação/Pixabay
    Por: Aluney Elferr Albuquerque Silva
    FONTE: PORTAL DO ESPÍRITO

    Durante o sono o Espírito desprende-se do corpo; devido aos laços fluídicos estarem mais tênues. A noite é um longo período em que está livre para agir noutro plano de existência. Porém, variam os graus de desprendimento e lucidez. Nem todos se afastam do seu corpo, mas permanecem no ambiente doméstico; temem fazê-lo, sentir-se-iam constrangidos num meio estranho (aparentemente).

    Leia mais...
  • Paz de consciência - O caminho com Jesus




    Imagem Divulgação/Pixabay 
    Por: Rita Ramos Cordeiro
    FONTE: Rita Ramos Cordeiro 

    Muitas vezes passamos por situações que nos exigem tomadas de decisões que nos tiram o sono e a tranquilidade.

    As dúvidas e incertezas tomam conta do coração sem saber qual rumo tomar.

    A insegurança retarda a caminhada não permitindo que sigamos em frente.

    Leia mais...
  • Vida Espírita

     




    FONTE: LIVRO DOS ESPÍRITOS

    VIII – Lembranças da Existência Corpórea
    304. O Espírito se lembra da sua existência corpórea?

    — Sim, tendo vivido muitas vezes como homem, recorda-se do que foi. E te asseguro que, por vezes, ri-se de piedade de si mesmo.

    Comentário de Kardec: Como o homem que, atingindo a idade da razão, ri das suas loucuras da juventude ou das puerilidades da sua infância.

    Leia mais...
  • Tolerância e respeito

     



    Por: Warwick Mota 

    FONTE: GRUPO CHICO XAVIER

    A diversidade religiosa é uma das marcantes características culturais que assinala a humanidade. São milhares de denominações que definem religiões e seitas, reunindo, em todos os pontos da Terra, seguidores de todos os credos.

    Essa pluralidade de crenças, em conjunto com a diversidade étnica, torna as relações entre os povos ainda mais complexas, sendo responsável por inenarráveis conflitos que envolvem o homem desde os primórdios.

    Leia mais...
  • Intolerância religiosa



    Imagem Divulgação/ Pixabay

    FONTE: MOMENTO ESPÍRITA 

    A liberdade de expressão é conquista recente na história da Humanidade.

    Não vão longe os tempos onde expressar o pensamento podia ter como consequência a condenação à morte.

    Déspotas, tiranos, assim como religiões, doutrinas, oprimiram e cercearam a livre expressão do pensamento.

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.

Sobre o instituto



O Instituto Beneficente Chico Xavier foi fundado no dia 04 de Setembro de 2010 na cidade de Itu - SP

O trabalho realizado pelo Instituto Chico Xavier é o de divulgar a Doutrina Espírita pela Internet e redes sociais, realizar Seminários e palestras espírita e também divulgar o livro Espírita, através do Clube do Livro Espírita Emmanuel.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato