fbpx
HomeInformativoArtigosO Espiritismo não veio para adivinhar o futuro
Sábado, 19 Outubro 2019 13:26

O Espiritismo não veio para adivinhar o futuro




 

O que acontece em uma casa espírita? Muitos me perguntam isso. A imaginação e a confusão entre outras religiões levam as pessoas a terem a ideia equivocada do que é o Espiritismo.

O Espiritismo é a ciência-religião codificada nas obras básicas de Allan Kardec (O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Livro dos Médiuns, A Justiça Divina Segundo o Espiritismo, A Gênese Segundo o Espiritismo) e revelada pelo Espírito da Verdade e demais espíritos superiores incumbidos desta tarefa. A missão do Espiritismo é auxiliar os espíritos a seguirem uma conduta norteada pelas leis morais que regem o universo. Todos os espíritas do Espiritismo são espíritas cristãos, pois, vêm em Jesus o seu modelo e guia para uma vida que esteja de acordo com a lei maior de Deus.

O Espiritismo nos esclarece sobre a nossa responsabilidade sobre qualquer acontecimento do passado, presente e futuro, fazendo com que, através destes esclarecimentos, saibamos a importância de nortear a nossa vida pelas leis morais de Deus.

A Lei da Causa e Efeito nos esclarece que qualquer felicidade que estejamos vivendo, ou qualquer infelicidade que estejamos vivendo, ocorre devido a uma causa anterior executada por nós mesmos, sendo assim, por mais que os efeitos de uma causa sejam variados devido a equidade da Lei de Deus, sabemos que somos responsáveis pelo nosso presente e o nosso futuro, com isso, valorizamos o nosso livre arbítrio concedido pela Lei de Liberdade e visamos viver conforme as leis morais para alcançarmos a evolução que desejamos e planejamos, seguindo assim a Lei do Progresso.

Dito isso, podemos citar os esclarecimentos contidos no Livro dos Médiuns e no Livro dos Espíritos onde nos mostram de maneira clara e objetiva os motivos por que o Espiritismo não tem como objetivo a adivinhação do futuro:


"7ª Podem os Espíritos dar-nos a conhecer o futuro?

R: Se o homem conhecesse o futuro, descuidar-se-ia do presente. É esse ainda um ponto sobre o qual insistis sempre, no desejo de obter uma resposta precisa. Grande erro há nisso, porquanto a manifestação dos Espíritos não é um meio de adivinhação. Se fizerdes questão absoluta de uma resposta, recebê-la-eis de um Espírito doidivanas (1), temo-lo dito a todo momento. (Veja-se O Livro dos Espíritos — “Conhecimento do futuro”, nº 868.)"

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, pág. 446-447.


"869. Com que fim o futuro se conserva oculto ao homem?

R: Se o homem conhecesse o futuro, negligenciaria do presente e não obraria com a liberdade com que o faz, porque o dominaria a idéia de que, se uma coisa tem que acontecer, inútil será ocupar-se com ela, ou então procuraria obstar a que acontecesse. Não quis Deus que assim fosse, a fim de que cada um concorra para a realização das coisas, até daquelas a que desejaria opor-se. Assim é que tu mesmo preparas muitas vezes os acontecimentos que hão de sobrevir no curso da tua existência.”

Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, perg, 868 e 869.

Estudando estes esclarecimentos, percebemos que os espíritos superiores, que têm como missão a revelação e o auxílio para que o Espiritismo nos ajude nesta nossa jornada evolutiva, conhecem, respeitam e cumprem a Lei de Deus, buscando nos auxiliar para vivermos o presente da melhor maneira que possamos conseguir, seguindo a Lei Natural, as leis morais.

 

"614. Que se deve entender por lei natural?R: A lei natural é a lei de Deus. É a única verdadeira para a felicidade do homem. Indica-lhe o que deve fazer ou deixar de fazer e ele só é infeliz quando dela se afasta.”

Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, perg. 614.

 

"629. Que definição se pode dar da moral?

R: A moral é a regra de bem proceder, isto é, de distinguir o bem do mal. Funda-se na observância da lei de Deus. O homem procede bem quando tudo faz pelo bem de todos, porque então cumpre a lei de Deus.”

Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, perg. 629.

“Ainda uma vez: a nossa missão consiste em fazer-vos progredir; para isso vos auxiliamos tanto quanto podemos. Jamais será enganado aquele que aos Espíritos superiores pedir a sabedoria; não acrediteis, porém, que percamos o nosso tempo em ouvir as vossas futilidades e em vos predizer a boa fortuna.”

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, pág. 449.

Por: Demétrius César Rodrigues.

(1) Segundo o dicionário doidivana significa: Pessoa insensata, excêntrica, extravagante, sem prudência.

Bibliografia:

- Allan Kardec, O Livro dos Espíritos.

- Allan Kardec, O Livro dos Médiuns.

- Allan Kardec, A Justiça Divina Segundo o Espiritismo.

Last modified on Sábado, 19 Outubro 2019 13:26

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Incorporação e possessão

     




    Fonte :
    Letra Espírita - Por : Silvio Junior

    Quando se fala em espiritualidade de modo geral, são diversos os temas tratados, onde por vezes alguns assuntos polêmicos dividem crenças e opiniões em relação a isso ou aquilo, no tocante a possíveis fenômenos observáveis através dos chamados “médiuns”, termo este criado por Allan Kardec durante a codificação do Espiritismo para identificar aqueles que serviam como meio de comunicação entre os planos material e espiritual.

    Leia mais...
  • Invigilância: a porta para a obsessão




    A existência dos fatores predisponentes - causas cármicas - facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propício da sintonia completa que almejam.

    Leia mais...
  • Suicídio inconsciente




    Fonte:
    Rádio Boa Nova - Por : Maria Izilda Netto

    Incontável o número de pessoas, em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveu que não era interessante continuar a viver.

    Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

    Leia mais...
  • A tristeza segundo Deus


    Por: Eduardo Rossatto

    Segundo Paulo de Tarso na sua segunda carta aos Coríntios (7:10), há dois tipos de tristeza: a tristeza segundo Deus e a tristeza segundo o Mundo. A segunda é a lamentação, as queixas e o tédio. Sofrimento inútil que não é sublimado e que se perde na letargia.

    Leia mais...
  • Injustiça e maldade

     

    Por: Eduardo Rossatto

    Nem sempre é fácil testemunhar injustiças e maldade. O mesmo ocorreu com Simão Pedro em um determinado dia, cerca de onze anos após a crucificação do Mestre, como Humberto de Campos (Irmão X) relata no capítulo 23 da obra "Contos desta e doutra vida".

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato