fbpx
HomeInformativoO que é o espiritismoLei do progresso na visão espírita
Sábado, 11 Mai 2019 23:43

Lei do progresso na visão espírita




a) estado de natureza

O estado de natureza é o estado de simplicidade do Espírito, é o seu ponto de partida quer intelectual quer moral. É o início de sua caminhada através da linha do princípio e da finalidade que lhe cumpre percorrer, acionado pelas diversas leis que se conjugam entre si com vistas a lhe permitir o desenvolvimento das potencialidades divinas.

É lei natural que esta evolução se dê, impedindo que o homem permaneça indefinidamente em seu estágio de infância espiritual que de nada lhe valeria se fosse perpetuado. A permanência em tal estágio aparentemente lhe daria um estado de felicidade,que é a felicidade do bruto, como a do animal, cujos instintos estão inteiramente satisfeitos.


Desde que há necessidade de evoluir – sair do estado de natureza empurra do pela lei natural – o homem cria uma série de atribulações próprias dos vários estágios pelos quais deva passar. Não podendo retroagir, senão apenas estacionar por tempo determinado é, por isto, responsabilizado no curso geral de sua vida imortal, criando para si embaraços e dificuldades que só o tempo bem aproveitado poderá resgatar.

b) marcha do progresso
Está presente no homem a força que o destina para o grande amanhã, mas cumpre que pelo processo de relação com o outro e do aprendizado que faça, desenvolva este princípio. É da lei: aquele que mais se desenvolva ajude o menos desenvolvido, para não criar os grandes desníveis que acabam por gerar, na ausência da lei de amor, o mecanismo servo - senhor ou dominado - dominador.

O progresso moral, que é o grande objetivo do Espírito, é uma conquista decorrente do progresso intelectual, porque, através deste último, a criatura humana aprende a discriminar os valores para poder escolher o que mais lhe convém, usando a faculdade do livre-arbítrio.

A possibilidade de escolha, após o conhecimento discriminativo, é função da inteligência que assim cria a responsabilidade do ato. A ação automática, instintiva ou imitativa, realizada sem a determinação da vontade é ato casual, mecânico ou condicionado, não tendo um valor moral e denota apenas um estado circunstancial do Espírito.

Só passo a passo os povos conseguem atingir o progresso. Por enquanto, o homem tem usado o conhecimento para alimentar a sua inferioridade moral, gerando como conseqüência a necessidade do sofrimento como instrumento de sua elevação moral. Um dia o homem equilibrará as duas forças, o conhecimento e a moral, atingindo a sabedoria.

O progresso é uma força viva da natureza, não estando no homem o poder de sustá-lo pelas leis oriundas de seu egoísmo e orgulho; quando muito o embaraça, mas sempre está sofrendo a sua ação construtiva. Os abalos físicos e morais que sofre a humanidade de tempos em tempos são a mostra de sua presença transformadora.

Por: Nilton Carvalho
FONTE: http://semeadorespirita.blogspot.com

Last modified on Sábado, 11 Mai 2019 23:44

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Pensamentos, sentimentos, alimentação e energias



    Imagem:
    Pixabay
    Por : Ricardo Di Bernardi

    Toda energia cósmica absorvida, seja ela por qual fonte tenha sido veiculada até chegar a nós, se transforma e se, adapta a nossa estrutura, ou seja, passará após essa transformação e adaptação, a fazer parte de nossa energia pessoal, e contribuir para a nossa aura.

    Leia mais...
  • A caminho de Emaús



    Imagem:
    Pixabay
    Por: Eduardo Rossatto

    Após o desencarne de Jesus, Lucas nos conta em 24:16, que dois discípulos estavam com a fé abalada e se afastaram de Jerusalém, isto é, se afastaram dos ensinamentos de Jesus, a caminho de Emaús, uma pequena aldeia, quando um estranho se aproximou e tentou consolar os dois jovens reafirmando que Deus não havia abandonado os cristãos. Este amigo oculto, Jesus, passou despercebido pelos discípulos, simbolizando a cegueira dos homens que não enxergam o auxílio da Providência.

    Leia mais...
  • Descobertas e transformações




    Imagem:
    Pixabay
    Por: Orson Peter Carrara

    Nada criamos. Tudo descobrimos ou transformamos. Aprendemos a descobrir as leis da natureza, extraímos a madeira das árvores, descobrimos os alimentos nas plantas e nos animais. Gradativamente fomos desenvolvendo a inteligência, produzindo ferramentas, equipamentos, utensílios e materiais que nos atendessem as exigências ou necessidades de conforto, proteção, locomoção, etc., Com isso, fazendo as transformações dos elementos naturais disponíveis ou gradativamente descobertos – principalmente pela observação, pela pesquisa ou pela mera exploração – chegamos ao atual estágio de uso de tudo que produzimos, transformando os elementos naturais que fomos descobrindo, entendendo seu mecanismo ou disciplinando seu uso.

    Leia mais...
  • Psicoses: Esquizofrenia e Reencarnação




    Fonte:
    Letra Espírita - Por: Rafaela Paes

    As psicoses, de um modo geral, são conceituadas como um estado mental em que o paciente acaba perdendo seu contato com a realidade, passando a apresentar comportamentos antissociais (REDAÇÃO, 201?, on-line).

    Leia mais...
  • A maior caridade que se faz ao Espiritismo é a mudança no comportamento.

     




    Por:
    Wellington Balbo - Imagem: Pixabay

    Um amigo me contou a história de dona Margarida, que por conta de uma razão qualquer um dia chegou à casa espírita.

    Encantou-se. Meteu a cara nos livros e arregaçou as mangas do coração.

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato