HomeInformativoArtigosHomicídio à luz do Espiritismo
Quinta, 24 Outubro 2019 19:33

Homicídio à luz do Espiritismo




O homicídio é um tipo de delito considerado grave em todas as legislações e em todos os tempos, divergindo a sua valorização de acordo com a cultura dessa época em que vivem os legisladores. O que pensa, porém, a doutrina espírita a respeito deste tema?

A questão do homicídio é abordada sob o titulo de Assassínio, na pergunta 746 de O Livro dos Espíritos. Interroga Kardec: “É crime, aos olhos de Deus, o assassinato?” responde o espírito: “Grande crime, pois que aquele que tira a vida ao seu semelhante, corta um fio de uma existência de expiação ou de missão. Aí está o mal.”

Aqui se inicia uma diferença entre o homicídio visto por uma ótica espírita e uma não espírita. Para os não espíritas, o homicídio é um crime em si mesmo, é a eliminação de uma vida por um modo traumático e violento, daí, no Código Penal, receber adjetivos como qualificado, premeditado, hediondo, simples e assim por diante.

Do ponto de vista espírita, entretanto, há uma sensível modificação neste ato. Segundo a Doutrina Espírita, a vida não é eliminada, mas interrompida. O homicida acredita, falsamente, que ao matar alguém livrou-se para sempre de um desafeto. O que o homicida elimina é a forma física, o corpo de seu inimigo, mas não o espírito que, não raro, do outro lado da vida, espera por ele para ajustarem contas.

Na pergunta seguinte, questiona Kardec: “É sempre o mesmo grau a culpabilidade em todos os casos de homicídio?” Resposta: “Já temos dito: Deus julga mais pela intenção do que pelo fato.” Aqui se abre um espaço para a distinção entre o homicídio doloso (com intenção) e o homicídio culposo (sem intenção). Ambos têm a mesma consequência, interrompe uma existência, mas o primeiro é, por certo, julgado com maior severidade. Um fato, entretanto, ressalta-se na Doutrina Espírita: o homicídio é muito pior para o homicida do que para a sua vítima.

Na questão 748, Kardec traz à baila uma figura jurídica muito conhecida dos juristas e mesmo dos leigos, que é a legítima defesa. Pergunta Allan Kardec: “Em caso de legitima defesa, pode Deus culpar o homicida?” Responde o instrutor: “Só a necessidade o pode desculpar, mas, desde que o agredido possa preservar a sua vida, sem atentar contra a do seu agressor, deve fazê-lo”.

Sem dúvida, o espírito concorda com o principio da legítima defesa, entretanto, observa que se deve sempre tentar evitar ao máximo a morte daquele que nos põe em risco a vida. Por certo, o espírito não quis ser radical, entretanto, numa visão estritamente cristã nem mesmo em legitima defesa se poderia matar. De um ponto de vista radicalmente cristão e espírita, mais vale receber a morte do que impingi-la a alguém. Aquele que mata, mesmo em legitima defesa, vale-se da violência contra o agressor e a violência poderia ter atenuantes, porém, jamais justificativa.

Por: José Carlos Leal

FONTE: http://www.correioespirita.org.br/categoria-de-materias/artigos-diversos/1425-o-homicidio-a-luz-do-espiritismo

Last modified on Quinta, 24 Outubro 2019 19:41

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Censuras




    Ler, pensar e refletir sobre os textos de Emmanuel é sempre oportunidade renovada de aprender continuamente. A capacidade de síntese desse notável benfeitor que se utilizou das mãos abençoadas de Chico Xavier para nos orientar através de seus textos é admirável. Suas linhas compactas, seus parágrafos e textos lúcidos ensinam muito. Daí a importância de nos debruçarmos sobre seus livros para saciar a sede de conhecimento e aprender muito. Seus romances clássicos ou seus livros de mensagens que comentam o Evangelho ou os livros da Codificação são preciosos.

    Read more...
  • A força dos sentidos





    “Os vossos olhos são a luz do corpo, mas se essa luz for trevas, todo o seu corpo estará em trevas“. (Jesus)

    Dentre as muitas assertivas do mestre Jesus, no seu Evangelho de amor, talvez essa seja uma das mais importantes para o homem terreno, porque ela adverte que, os nossos sentidos materiais, a visão, o tato, a audição, o olfato e o paladar, constituem antenas vivas, que mostram com nitidez aqui e do outro lado da vida, o uso que fazemos deles.

    Read more...
  • Importância do Estudo no Centro Espírita

    O Centro Espírita não é simplesmente um templo religioso onde os adeptos do Espiritismo ali comparecem para rituais de devoção, como a oração (prece), o passe e assim por diante.

    É, na verdade, instituição social que possui várias características:

    Read more...
  • No júbilo de servir




    “Depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: somos servos inúteis, fizemos o que devíamos fazer”. Jesus (Lucas, 17:10)

    Guarda tua alma no júbilo de servir.

    Read more...
  • Oremos e vibremos pelo nosso país




    Esta chegando o grande dia onde teremos a oportunidade de através do voto consciente escolher o presidente que acharmos melhor indicado para representar o Brasil nos próximos 4 anos.

    Que estejamos todos em oração neste domingo, pedindo ao Pai da Vida que intua todo o povo brasileiro a votar com discernimento e coerência, em paz e harmonia. 

    E seja qual for o presidente eleito que as bençãos do Pai recaía sobre ele, para que saiba representar o Brasil com humildade, amor e fraternidade, respeitando e lutando com justiça pelas dificuldades enfrentadas pelo já tão sofrido povo brasileiro.


Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.

Sobre o instituto



O Instituto Beneficente Chico Xavier foi fundado no dia 04 de Setembro de 2010 na cidade de Itu - SP

O trabalho realizado pelo Instituto Chico Xavier é o de divulgar a Doutrina Espírita pela Internet e redes sociais, realizar Seminários e palestras espírita e também divulgar o livro Espírita, através do Clube do Livro Espírita Emmanuel.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato