Quinta, 24 Outubro 2019 19:34

Resoluções




No mês de dezembro, as indefectíveis resoluções do Ano Novo. As pessoas listam iniciativas que visam melhorar a qualidade de vida, em vários aspectos.

Saúde: Queimarei gorduras indesejáveis, malhando na academia. Desenferrujarei as pernas com caminhadas diárias. Porei cadeado na boca, reduzindo o excesso de peso Deixarei de ser o bobo na outra ponta do cigarro aceso.

Vida familiar: Não implicarei com meu marido, por não pendurar a toalha de banho, guardar os chinelos ou limpar os sapatos ao entrar em casa. Não me irritarei com minha cara-metade, quando estiver “atacada”, nos dias de tensão pré-menstrual. Nunca mais direi que feliz foi Adão, que não tinha sogra. Não verei meus filhos como “aborrecentes” interessados em me enlouquecer.

Vida social: Escovarei minha conversa. Nada de palavrões, mesmo quando aquele motorista desavisado me dê uma fechada, quase provocando grave acidente. Serei amigo fiel da verdade. Não mandarei dizer que não estou em casa quando me procure alguém que não quero receber. Não passarei adiante boatos e fofocas, contendo o impulso de dar asas à imaginação como quem solta penas ao vento.
Religião: Encontrarei tempo e disposição para participar das reuniões doutrinárias, na casa Espírita que frequento. Estarei atento às palestras, mesmo quando fale aquele expositor que costuma dar-me sono. Assumirei encargos sem preocupação com cargos. Efetuarei regulares contribuições, sem cogitar de celestes premiações.

Resoluções assim, se observadas, representam uma semeadura de bênçãos. O problema é que constituem letra morta na cartilha existencial. Cogitamos de fazer muito e não fazemos nada. Por isso costuma-se dizer que de boas intenções o inferno anda cheio. Melhor reduzi-las a um mínimo, concentrando esforços em torno delas.

Detalhe essencial: Evoquemos a proteção do Céu! Quando associamos as resoluções à oração, fiéis aos nossos bons propósitos, realizamos prodígios de renovação.

Há uma prece famosa, atribuída a Reinhold Niebuhr (1892-1971), teólogo americano. Trata-se da famosa Oração da Serenidade, que resume com perfeição o que nos compete fazer. É uma combinação notável de três resoluções, para as quais evocamos o apoio divino:
Senhor, dá-nos a graça de aceitar com serenidade as coisas que não podem ser mudadas… Coragem de mudar as coisas que devem ser mudadas…E compreensão para distinguir umas das outras.

A morte de um ente querido, a amputação de uma perna, a lesão do nervo ótico, a esterilidade e outros males irreversíveis podem ser situados como cármicos, nas experiências humanas. O que de pior podemos fazer, em tais situações, é cair no desespero e na revolta, que apenas multiplicam nossos padecimentos.

Há os que vão mais longe no desatino: tentam a fuga, mergulhando nessa porta falsa, que é o suicídio, a precipitá-los em dores mil vezes acentuadas.

Quando aceitamos, confiando em Deus, fica mais fácil. A submissão é o fardo leve a que se referia Jesus.
Por outro lado, há situações que podem e devem ser modificadas. Algumas são geradas por nós mesmos, como o vício, a solidão, a tristeza… Outras, como a pobreza e o desemprego, são contingências, aparecem em decorrência das mazelas da sociedade humana. Podemos superá-las, confiando em nós mesmos e em Deus.

Há um problema: Geralmente arremetemos contra o inexorável e nos acomodamos ao superável. Por isso as pessoas, não raro, envolvem-se com mudanças infelizes, gerando situações comprometedoras que podem ser resumidas em breves diálogos:
– Meus pais implicavam com meu gosto pelas madrugadas, a receber visitas, puxar um fumo, ouvir som da pesada… – Reformulou seus hábitos? – Reformulei o endereço! Moro sozinho.
– Estava sem espaço na agenda para as atividades religiosas. – Encontrou tempo? – Dei um tempo! Voltarei quando estiver menos atarefado.
– Indignava-me a corrupção no setor público onde trabalho. – Alterou a localização? – Alterei a opinião! Entrei no esquema. Ninguém é de ferro.
– Andava muito irritado com minha esposa. – Mudou o relacionamento? – Mudei de esposa!
– Lia, apavorado, as publicações sobre os malefícios do fumo. Um horror! – Deixou de fumar? – Deixei de ler!
Pessoas assim estão mal inspiradas. Acomodam-se ao que é imperioso mudar. Pretendem mudar o que deve ser preservado. Daí a necessidade de pedirmos a Deus nos dê a bênção da compreensão, para distinguir com clareza a iniciativa correta.
Então, sim, desfrutaremos em plenitude nossos dias, cumprindo o que Deus espera de nós.

POR: RICHARD SIMONETTI

Last modified on Quinta, 24 Outubro 2019 19:34

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Entrevista com Rita Ramos Cordeiro

     


    FONTE: ESPIRITUALMENTE

    Nascida em Presidente Prudente/SP e residindo atualmente em Itu/SP, é escritora, articulista, redatora, diretora de divulgação e marketing do Instituto Chico Xavier de Itu e da ASDBNotícias. Também é coordenadora do Clube do Livro Emmanuel, que agrega associados de todo o Brasil.

    Casada e mãe de 01 filho, Rita faz parte do Centro Espírita de Itu e já publicou 03 livros:

    Leia mais ...
  • A naturalidade da morte trágica



    Por: Maria Thereza dos Santos Pereira - FONTE: Letra Espírita

    Quando conversamos com alguém que recentemente perdeu uma pessoa próxima, não raro dizem não esperar pelo falecimento dela, ainda que estivesse doente ou com idade avançada.

    Situações em que acontece a morte trágica, por motivo grave e repentino, principalmente quando o desencarnado possui tenra idade, a surpresa demonstrada pelos entes encarnados é ainda maior, pois manifestam além de tristeza, inconformismo e revolta de maneira muito acentuada.

    Leia mais ...
  • Desdobramento


    Por: Fernanda Oliveira - FONTE: Letra Espírita

    “Embora, durante a vida, o Espírito seja fixado ao corpo pelo perispírito, não é tão escravo, que não possa alongar sua corrente e se transportar ao longe, seja sobre a terra, seja sobre qualquer outro ponto do espaço.” (Allan Kardec, A Gênese, Cap. XIV)

    Leia mais ...
  • Os benefícios da água


    Por: Ricardo de Bernardi - FONTE: A CASA DO ESPIRITISMO

    A água é uma substância orgânica ou possui uma espécie de energia vital?

    A água não é uma substância orgânica, pois não possui a estrutura típica daquelas, também não possui o ciclo vital, - nascer, crescer, reproduzir, morrer. No entanto, é a substância mineral mais fantástica do Planeta, sem a qual não seria possível a vida em nosso orbe, daí dizer-se que a água é um "líquido vital". Dois terços da superfície da Terra são constituídos de água, bem como 70% de nosso corpo. Pelo seu peso molecular, deveria ser gasosa, mas, como cada molécula de água acha-se aderida a outras, por atração eletromagnética, aumenta sua densidade permitindo-se existir na forma líquida em estado natural. Um capricho inteligente da Lei Maior do Universo.

    Leia mais ...
  • Os primeiros sete anos da reencarnação do espírito




    FONTE: LIÇÕES DO ESPÍRITO 

    O período inicial da reencarnação do Espírito é decisivo na formação do seu caráter e da sua personalidade porque, nesse período da primeira infância, o Espírito “é mais acessível às impressões que recebe e que podem auxiliar o seu adiantamento, para o qual devem contribuir os que estão encarregados de educá-lo.”[1]. Os Espíritos Superiores ainda esclarecem, em "O Livro dos Espíritos", à questão 380, que a fase de perturbação que acompanha a encarnação do Espírito não cessa de súbito por ocasião do nascimento, mas que gradualmente se dissipa, com o desenvolvimento dos órgãos.

    Leia mais ...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.

Sobre o instituto



O Instituto Beneficente Chico Xavier foi fundado no dia 04 de Setembro de 2010 na cidade de Itu - SP

O trabalho realizado pelo Instituto Chico Xavier é o de divulgar a Doutrina Espírita pela Internet e redes sociais, realizar Seminários e palestras espírita e também divulgar o livro Espírita, através do Clube do Livro Espírita Emmanuel.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato