fbpx
HomeInformativoTransição planetariaComo ocorre a provação coletiva?
Sábado, 30 Setembro 2017 21:26

Como ocorre a provação coletiva?

 

Por: Liz Bittar

A resposta a esta pergunta foi dada por Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier, no livro O Consolador: "Na provação coletiva, verifica-se a convocação dos Espíritos encarnados, participantes do mesmo débito, com referência ao passado delituoso e obscuro.

O mecanismo da justiça, na lei das compensações, funciona então espontaneamente, através dos prepostos do Cristo, que convocam os comparsas na dívida do pretérito para os resgates em comum, razão por que, muitas vezes, intitulais “doloroso acaso” às circunstâncias que reúnem as criaturas mais díspares no mesmo acidente, que lhes ocasiona a morte do corpo físico, ou as mais variadas mutilações, no quadro de seus compromissos individuais. - Emmanuel, sob a psicografia de Chico Xavier, em O Consolador, pergunta 250.

 

Para o leitor não habituado com a terminologia espírita, expressões fora de contexto, tais como “passado delituoso e obscuro” podem chocar, e levar a falsas interpretações.

Uma mãe amorosa não concebe a possibilidade de seu pequeno anjo ter tido um “passado delituoso e obscuro” – o que é perfeitamente compreensível.

Mas, analisando a questão sob a ótica da reencarnação, veremos que somos espíritos imortais – nossa jornada não começa, e nem termina aqui. Somos todos espíritos em evolução, encarnados na terra para aprender e progredir. Não existem, entre nós, espíritos isentos de faltas no passado, de erros a serem reparados. A possibilidade de retornar a vida corpórea, e resgatar esses erros, não é um castigo, mas uma prova do amor de Deus, que nos oferece infinitas possibilidades de redenção.

Mas Deus não seria perfeito, se não fosse justo. Ele nos permite recomeçar do início, e nos concede o benefício do esquecimento temporário do passado (nos esquecemos do passado enquanto estamos encarnados – depois de retornar à Pátria Espiritual, recobramos a lembrança de nossas vidas pregressas).

Assim sendo, temos a oportunidade de nos encontrar com antigos desafetos, e vivenciar experiências dolorosas que possamos ter ocasionado aos outros, em existências passadas. Analisando sob esta ótica, começamos a entender que o que muitas vezes chamamos de “castigo” é, na verdade, “possibilidade de redenção”, ou seja, uma segunda chance.

Muitos de nós escolhemos o gênero de provas que iremos passar pela vida. Essas provas estão de acordo com a nossa evolução espiritual, e contamos sempre com a ajuda de Espíritos Protetores, que nos inspiram, para que não falhemos, e nos dão força e coragem, quando acontecimentos que fogem ao nosso controle, se descortinam diante de nós.

Emmanuel nos diz, através da psicografia de Chico Xavier, no livro intitulado “Emmanuel", cap. XXXII, Dos Destinos: “Não poucas vezes vos preocupais, nas lides planetárias, com as provações necessárias, que julgais excessivas para as vossas forças. Crede! O fardo que faz vergar os vossos ombros não é demasiado para as vossas possibilidades. Deus tudo prevê e, sobretudo, a escolha de semelhantes provações é uma questão de preferência individual…”

Mais adiante, no item “A Escolha das Provas”, Emmanuel ensina: “Muito antes da encarnação, o Espírito faz o cômputo de suas possibilidades, estuda o caminho que melhor se lhe afigura na luta da perfectibilidade e, de acordo com suas vocações e segundo o grau de evolução já alcançado, escolhe, em plena posse de sua consciência, a estrada que se lhe desenha no porvir, fecunda de progressos espirituais.”

FONTE: LETRA ESPÍRITA

Last modified on Sábado, 30 Setembro 2017 21:26

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Incorporação e possessão

     




    Fonte :
    Letra Espírita - Por : Silvio Junior

    Quando se fala em espiritualidade de modo geral, são diversos os temas tratados, onde por vezes alguns assuntos polêmicos dividem crenças e opiniões em relação a isso ou aquilo, no tocante a possíveis fenômenos observáveis através dos chamados “médiuns”, termo este criado por Allan Kardec durante a codificação do Espiritismo para identificar aqueles que serviam como meio de comunicação entre os planos material e espiritual.

    Leia mais...
  • Invigilância: a porta para a obsessão




    A existência dos fatores predisponentes - causas cármicas - facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propício da sintonia completa que almejam.

    Leia mais...
  • Suicídio inconsciente




    Fonte:
    Rádio Boa Nova - Por : Maria Izilda Netto

    Incontável o número de pessoas, em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveu que não era interessante continuar a viver.

    Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

    Leia mais...
  • A tristeza segundo Deus


    Por: Eduardo Rossatto

    Segundo Paulo de Tarso na sua segunda carta aos Coríntios (7:10), há dois tipos de tristeza: a tristeza segundo Deus e a tristeza segundo o Mundo. A segunda é a lamentação, as queixas e o tédio. Sofrimento inútil que não é sublimado e que se perde na letargia.

    Leia mais...
  • Injustiça e maldade

     

    Por: Eduardo Rossatto

    Nem sempre é fácil testemunhar injustiças e maldade. O mesmo ocorreu com Simão Pedro em um determinado dia, cerca de onze anos após a crucificação do Mestre, como Humberto de Campos (Irmão X) relata no capítulo 23 da obra "Contos desta e doutra vida".

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato