fbpx
Sábado, 20 Outubro 2018 20:24

As batidas misteriosas

 

FONTE: Passa tempo Espírita

Há muitos anos, quando ainda iniciava meus estudos sobre o Espiritismo, estando certa noite entregue a um trabalho referente a esta matéria, comecei a ouvir pancadas misteriosas em algum lugar da sala onde me encontrava. E isso aconteceu durante quatro horas seguidas. Era a primeira vez que uma coisa dessas me acontece.

 

Verifiquei não serem devidas a nenhuma causa acidental, mas, na ocasião, foi só o que pude saber.

Por essa época, tinha eu freqüentes oportunidades de estar com um excelente médium escrevente.

No dia seguinte, perguntei ao Espírito que se comunicava por intermédio dele, qual a causa daquelas pancadas. Ele me respondeu:

- Era o seu Espírito familiar que queria falar contigo.

- O que é que ele deseja de mim? – perguntei.

Ele me respondeu:

- Ele está aqui, pergunte a ele.

Cheio de curiosidade, perguntei, ansioso, quem era ele e o que pretendia com aquelas batidas.

Ele se deu a conhecer sob um nome simbólico, Verdade (Eu vim a saber depois por outros Espíritos, que pertence a uma categoria muito elevada e que desempenhou na Terra um importante papel).

Apontou erros nos meus escritos, indicando-me até as linhas onde estavam: deu-me muitos conselhos úteis e sábios a respeito do meu trabalho e acrescentou que estaria sempre comigo e atenderia ao meu chamado todas as vezes que eu tivesse algumas dúvidas.

A partir desse dia, esse Espírito nunca mais me abandonou.

Recebi dele muitas provas de grande superioridade e sua intervenção caridosa e eficaz me ajudou muito, tanto nos assuntos da vida material quanto nas questões espíritas.

Desde a primeira vez em que lhe falei, as pancadas misteriosas pararam.

O que ele desejava de mim?

Apenas que começássemos a conversar regularmente e para isso precisava me avisar.

Depois de dado o aviso, e após termos estabelecido as relações regulares, as pancadas não eram mais necessárias, por isso pararam.

É como acontece com o tambor que deixa de tocar para despertar os soldados, logo que eles se levantam.

(Allan Kardec. Adaptado de “O Livro dos Médiuns”. Cap. 5. Item 86)

Last modified on Sábado, 20 Outubro 2018 20:24

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • O que são espíritos agêneres?




    Fonte: Rádio Boa Nova 

    Você já ouviu falar em espíritos agêneres? O que a doutrina espírita fala sobre o assunto? Confira as considerações a seguir.

    Leia mais...
  • O tempo no plano espiritual




    Fonte:
    Letra espirita - Por: Juliana Procopio

    É muito comum em momentos de despedidas após o desenlace de um ente querido ou uma pessoa conhecida que esteve

    doente, por exemplo, ouvirmos as pessoas se referirem a quem partiu com a expressão, “em fim descansou”.

    Leia mais...
  • Raciocinar a fé para que a fé não raciocine por nós.

     




    Por:
    Wellington Balbo

    Quando Kardec codificou o Espiritismo, século 19, sua ideia passou bem longe de construir uma nova religião ou transformar seus livros numa espécie de bíblia com recheio de dogmas.

    Nada disso.

    Leia mais...
  • Espíritos de pessoas em Coma




    Por:
    Letra Espírita - Por: Isabel Miranda

    Como espíritas, aprendemos que cada encarnação se presta a acrescentar novos aprendizados, reparar erros do passado ou até mesmo cumprir missões importantíssimas ao avanço da humanidade.[1]

    Leia mais...
  • Orar é abrir a alma a Deus

     



    Por:
    Vania Mugnato de Vasconcelos - Imagem: Pixabay

    "E não duvideis de que um só desses pensamentos, partindo do coração, é mais ouvido por vosso Pai celestial do que as longas preces repetidas por hábitos". (O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII, Modo de Orar). O brasileiro é um povo eminentemente religioso.

    Leia mais...

Clube do Livro Emmanuel


Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato