fbpx
HomeInformativoArtigosIntolerância religiosa
Sábado, 25 Janeiro 2020 11:03

Intolerância religiosa



Imagem Divulgação/ Pixabay

FONTE: MOMENTO ESPÍRITA 

A liberdade de expressão é conquista recente na história da Humanidade.

Não vão longe os tempos onde expressar o pensamento podia ter como consequência a condenação à morte.

Déspotas, tiranos, assim como religiões, doutrinas, oprimiram e cercearam a livre expressão do pensamento.

Hoje ainda insistem alguns a fomentar seus rincões de intolerância e de proibições.

Porém, cada vez mais ganham espaço as conquistas da liberdade de refletir e de expor as ideias.

Quando esse direito é respeitado por todos, temos a possibilidade de sermos coerentes entre pensar e falar, dando ao outro, da mesma forma, tal direito.

Cabe a cada um de nós entender que pensamos de maneira diferente porque temos valores, conceitos e visão de mundo muito próprios.

E, na medida que respeitamos o próximo, podemos rogar para nós esse mesmo respeito.

Nesses termos, cabe-nos perguntar: Qual seria a melhor religião para alguém?

Certamente, a resposta não é única.

Na diversidade de pensar e agir em que mergulha a Humanidade, poderíamos eleger uma religião como a melhor?

Certamente, se nos fosse imposta uma religião com a qual não concordamos, que não aceitamos, não nos iríamos sentir confortáveis.

Isso acontece com qualquer pessoa para a qual insistirmos em impor nossa crença.

A melhor religião deve ser aquela que não nos torna hipócritas, que nos transforma em pessoas de bem, corretas, seres humanos melhores.

Portanto, a respeito desse assunto cabe a cada um optar, a mais ninguém.

Será somente nesse entendimento entre a criatura e Deus que se poderá escolher a melhor forma de chegar até Ele.

Toda doutrina ou religião que conduza o homem ao bem, deve ser digna de respeito.

Isso porque, quando se trata das coisas de Deus, o importante não é o caminho que tomamos, mas sim, a direção para a qual caminhamos.

E são muitos os entendimentos e as expressões que nos conduzem ao Pai.

Nesses termos, infrutífera, quando não desrespeitosa, qualquer imposição de crença a outrem.

Para alguns, Deus está na natureza. Para outros, a convivência está dentro do Seu templo. E tantos O cultivam na intimidade do coração.

Uns O têm como Pai amoroso. Outros, talvez O percebam mais como um Pai severo.

São estágios evolutivos.

Alguns se atêm fervorosos às suas crenças religiosas. Outros preferem viver a seu modo a sua relação com Deus.

Para o Criador do Universo, o importante não é o que sai da boca, dos gestos, ou onde isso é feito.

Para o Pai Maior, o grande significado está naquilo que se passa no coração.

Dessa forma, há que respeitar-se toda e qualquer crença, quando nos conduz e nos faz bem.

Afinal, Deus, acima disso tudo, entende que nós, Seus filhos, ainda estamos tateando, dando os primeiros passos, na busca de entender a Sua grandiosidade e bondade.

Redação do Momento Espírita.

Last modified on Sábado, 25 Janeiro 2020 11:06

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • "Marcas de nascença" e a reencarnação


    Por: Eurípedes Kühl

    Alguns registros espíritas sugerem que determinados fatores físicos podem indicar a presença de reencarnação decorrente de ato específico em vida passada:

    Marcas de nascença
    - No livro “Entre a Terra e o Céu”, 13ªEd., 1990, FEB, RJ/RJ, o autor espiritual André Luiz (psicografia de Chico Xavier) diz-nos à pág 186 que os “sinais de nascença” decorrem da associação de mente a mente entre mãe e filho, na fase da gestação, proporcionando à Natureza completar o serviço que lhe cabe no tempo. E acrescenta:

    Leia mais...
  • Destino ou livre arbítrio?


    Por: Eduardo Rossatto

    Destino é, nas palavras de André Luiz em "A vida continua", a soma dos nossos próprios atos. Na doutrina espírita, esta palavra é raramente usada, pois ela denota passividade e o espírito é sempre senhor do seu destino através do que chamamos de "livre-arbítrio". Segundo a questão 872 do "Livro dos Espíritos", livre-arbítrio é a liberdade do espírito em fazer a escolha da existência e das provas (quando ainda desencarnado) e a faculdade de ceder ou de resistir aos arrastamentos a que todos nós somos submetidos (quando encarnado). Há muitas fontes nas quais podemos estudar sobre o assunto, como o excelente capítulo 3 da Terceira Parte de "O Espírito e o Tempo" de J. Herculano Pires, mas vamos focar nas questões 843 até 872 do "Livro dos Espíritos".

    Leia mais...
  • Médicos – “mecânicos“ de Deus

     


    Fonte: Euripedes kuhl
    Por: Euripedes Kuhl

    Figuradamente, considero que a mais perfeita máquina existente no planeta Terra é o corpo humano; dentre tantas, apenas outra das infinitas obras-primas do Criador.
    Máquina perfeita, maravilhosa, eficientíssima — única!

    Leia mais...
  • Por que Deus permite o sofrimento?




    Imagem: Pixabay
    Por: Eduardo Rossatto

    Aos olhos físicos, tudo é sofrimento. Para alguns, castigo de Deus; para outros, um grande enigma. Afinal, por que Deus permite o sofrimento, a fome, tragédias e doenças?

    Mas a nossa cegueira espiritual não consegue enxergar além da matéria, razão pela qual os homens questionam a Espiritualidade Superior. Allan Kardec também questionou, a fim de esclarecimentos, e a resposta do benfeitor na questão 123 do "Livro dos Espíritos" foi a seguinte: "Como ousa pedir contas a Deus de seus atos?"

    Leia mais...
  • Lado diverso da moeda




    Por:
    Orson Peter Carrara

    Durante algumas semanas publiquei algumas reflexões dos prejuízos causados pela falta de conhecimento do Espiritismo, levando pessoas a práticas e comportamentos completamente divorciados da genuína prática espírita. Tais abordagens foram motivadas pelos disparates observados, pelas ocorrências absurdas praticadas em nome de uma doutrina racional e especialmente tentando abrir os olhos daqueles que não conhecem os princípios do Espiritismo e se deixam levar por supostos médiuns e ditos líderes ou palestrantes que, abusando do livre-arbítrio, ameaçam, chantageiam, exigem, impõem ideias absurdas na compreensão dos legítimos ensinos da Doutrina Espírita. Não teve sentido de crítica, até porque todos estamos sujeitos a esses equívocos, inclusive quem aqui escreve, mas de ponderações que promovam coerência.

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.

Sobre o instituto



O Instituto Beneficente Chico Xavier foi fundado no dia 04 de Setembro de 2010 na cidade de Itu - SP

O trabalho realizado pelo Instituto Chico Xavier é o de divulgar a Doutrina Espírita pela Internet e redes sociais, realizar Seminários e palestras espírita e também divulgar o livro Espírita, através do Clube do Livro Espírita Emmanuel.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato