fbpx
HomeInformativoArtigosEstão todos obsidiados!
Sábado, 18 Abril 2020 13:48

Estão todos obsidiados!

 




Por: Fátima Moura

Em algumas manhãs, a caminho do trabalho, cruzo sempre com algum conhecido ou colega das lides educacionais, dos tempos de colégio ou de redação e na correria de sempre, entre metrôs e ônibus lotados, o bate-papo espanta o marasmo da viagem. Faz as horas correrem mais depressa, encurtando o caminho até o centro da cidade, onde ainda embarco em outro ônibus que me levará até a Zona Sul da Cidade.

Dia desses, encontrei o colega de Faculdade, também professor, que há muito não via. Depois dos cumprimentos habituais, e da alegria de revê-lo depois de tanto tempo, me contava ele sobre a escola nova onde lecionava já há alguns poucos meses. Situada em bairro de classe média alta, havia sido escolhida por ele para facilitar o acesso, perto de uma outra escola onde já trabalhava. No mesmo dia, recebendo outro convite resolveu optar por essa, por ser mais perto também quando do retorno para casa, mas segundo ele, já estava arrependido de trocar o certo pelo duvidoso, pois o novo ambiente o estava assustando, deixando-o com vontade de desistir de continuar lecionando por lá.

Depois de discorrer sobre as desvantagens de uma escolha feita às pressas, não pude conter e espanto com a indignação incontida que veio através da frase: – Veja você, às vezes, penso que não estou adentrando uma escola, mas sim que estou num antro de perdição, um verdadeiro hospício! Uma pinta o cabelo de vermelho, o outro coloca um alargador na orelha, o outro se decora com tatuagens coloridas, para mim, estão todos obsidiados!

Confesso que fiquei chocada com o tom da declaração. Será que o colega sabia mesmo o que era obsessão? Não tive como perguntar por que ele, pelo avançado da hora, desceu apressado sem ouvir minhas colocações, o que não me permitiu também ouvir dele melhores impressões sobre o assunto.

Se formos buscar em algum dicionário online, veremos que a palavra se origina do latim: obsessio, onis). Podemos classificar como obsessão a preocupação exagerada com alguma coisa; apego excessivo a uma mesma ideia; ideia fixa. Compulsão; necessidade intensa para fazer algo ilógico ou insensato: a obsessão pelo dinheiro. Impertinência; ato de aborrecer alguém com solicitações insistentes. Psicologia. Neurose que se define pelos pensamentos, ou ações, repetitivos e compulsivos; neurose obsessivo-compulsiva.

André Luiz, em Mecanismos da Mediunidade, explica o processo através da ocorrência do circuito elétrico. Assim, diz ele, se aproximarmos um corpo eletrizado (por exemplo, uma bota de metal) de um corpo neutro não eletrizado (por exemplo, outra bola de metal), este último também se tornara eletrizado, pois parte da carga elétrica do primeiro se transferirá para o segundo e assim por diante, constituindo-se entre eles uma corrente elétrica. Esses dois corpos estarão, assim, em sintonia. Entretanto, se o segundo objeto (neutro) for representado por uma bola de vidro ou de borracha, essa comente elétrica não se estabelecerá, pois não ha afinidade entre o vidro ou borracha para com o metal. Afinidade significa identidade de características. Assim também, um pensamento (e sentimento, como o ódio, por exemplo) emitido por uma entidade, apenas conseguirá reproduzir-se em outra mente que lhe tenha afinidade, isto é, que tenha em seu conteúdo pensamentos e sentimentos com a mesma característica, ou seja, segundo os ensinamentos dados pelos espíritos, a obsessão se dá através da imantação, do pensamento, da afinidade e não de influências externas.

Pena não ter conseguido dizer ao prezado amigo que muitos daqueles jovens só estão tentando seguir a um modismo, muitas vezes estranho, é verdade, mas sem significação direta com o processo obsessivo. Obsessores ou obsidiados, nós é que escolhemos de que lado estamos, e para isso não precisamos pintar o cabelo, colocar um alargador na orelha ou fazer uma tatuagem. Basta um pensamento, apenas um pensamento ou desequilíbrio e a porta estará aberta. Fiquemos atentos!

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Os que foram para o lado de lá e voltaram para contar




    Fonte:
    Vozes Espíritas - Por: Wellington Balbo

    A médica suíça Elisabeth Kübler Ross (08 de julho de 1926 – 24 de agosto de 2004), passou décadas ao lado de pacientes em estado terminal. Sua experiência a fez escrever o livro “Sobre a morte e o processo de morrer”, em que apresenta o modelo de Kübler Ross a informar familiares e amigos de doentes terminais na melhor maneira de conviver com a situação.

    Read more...
  • A morte dói?

     




    Por:
    Orson Peter Carrara

    Quando morre alguém, sentimo-nos todos tomados por um sentimento de perda e dor. É natural, gostamos da pessoa e desejamos que continue vivendo conosco. Mas, a morte é a única certeza da vida e está enquadrada nos acontecimentos normais da existência de todo mundo. A todo instante, partem jovens e velhos, sadios e enfermos…

    Read more...
  • O tempo no plano espiritual

     




    Fonte:
    Letra Espírita - Por: Juliana Procopio

    É muito comum em momentos de despedidas após o desenlace de um ente querido ou uma pessoa conhecida que esteve doente, por exemplo, ouvirmos as pessoas se referirem a quem partiu com a expressão, “em fim descansou”.

    Read more...
  • A saúde pode ser afetada pela obsessão?




    Fonte:
    O Consolador - Por: Orson Peter Carrara

    Desafio está em conhecer a origem dos casos

    Uma interessante matéria publicada por Allan Kardec na Revista Espírita (1) utiliza a expressão loucura obsessional. O texto, que recomendamos aos leitores, é um estudo sobre os Possessos de Morzine, uma localidade em determinada região francesa, alvo de carta endereçada ao Codificador pelo capitão B. (membro da Sociedade Espírita de Paris e naquele momento radicado na cidade de Anecy). Allan Kardec publicou a carta na edição de abril (2), seguida de instruções dos Espíritos Georges e Erasto e ainda acrescentou lúcido comentário sobre a questão. Depois, na edição de dezembro (3), voltou ao assunto, desdobrando-o em bem argumentada análise.

    Read more...
  • Depressão em jovens e adolescentes




    Fonte:
    Correio Espírita - Por: Fátima Moura

    Tenho ouvido muitos relatos de pais e familiares preocupados. A depressão entre jovens, adolescentes e até crianças parece estar aumentando de modo assustador e o assunto também tem sido focado em nossas palestras, sempre que somos convidados a falar sobre temas ligados à família.

    Read more...

Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro



Conheça nosso clube do livro.


Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato