fbpx
HomeInformativoAtualidadesCaridade X Compaixão
Sábado, 18 Abril 2020 13:58

Caridade X Compaixão




Imagem:
Pexels
Por: Letra Espírita
Por: Fernanda Oliveira

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.” ( Chico Xavier)

Precisamos lidar com o mundo conscientes que somos seres gregários e estamos aqui para nos relacionar, conviver e ajudarmos uns aos outros. O grande bem de todos é feito nos pequenos engajamentos diários feitos por cada um de nós. Não existe momento na vida que a gente não tem uma missão e uma ação benéfica para realizar e essas atribuem valor a nossa evolução pessoal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) saúde é um indicador biopsicossocial e ser saudável não é apenas a ausência de doenças físicas mas está diretamente ligado também ao bem-estar psíquico (saúde mental e emocional) e a viver em uma sociedade mais justa, fraterna e unida.

A vida em sociedade é um aprendizado para o progresso, e o melhor aprendizado se faz junto a ação do bem. Dividir para saber usar e preservar. Devemos adotar um padrão de comportamento baseado no compromisso com o bem e com a melhoria, ampliando nossas ações no benefício coletivo e não mais em favor da satisfação pessoal. Precisamos ter uma visão globalizada do ser humano procurando ter responsabilidade pelo coletivo. Procurando sair de nós mesmos e de nossas necessidades pessoais e nos colocarmos a disposição das outras pessoas.

É muito necessária a ação do trabalho no bem. Não basta despertar a consciência é preciso o agir, mudar atitudes, construir novos paradigmas para obtermos uma coletividade mais justa, mais afetiva e equilibrada. O espírito evolui individualmente, porém seu progresso se dá com o outro e em sociedade. Viver é conviver.

Caridade é um ato que não constrange quem recebe e auxilia muito mais a quem pratica do que quem recebe.Não podemos entender somente como a prática da caridade a doação de bens materiais ou esmola, a verdadeira bondade desse ato tem e deve ser praticada diariamente, pois é um ato de luz, é caminho, é chave : é a atenção, a palavra amiga, o auxilio, é tratar o outro na mesma forma que gostaríamos de ser tratados, é oração enviada a uma pessoa que sabemos necessitar, é ajudar sem esperar nada em troca, é ensinar o que já sabemos, é dar sem que a outra mão saiba o que foi dado, é estudar buscando o conhecimento para se iluminar e iluminar os outros, é o autocuidado; cuidar do outro sem deixar de cuidar de si, é dar aquilo que sabemos que faz falta, é respeitar as diferenças e as escolhas de cada pessoa, é a divulgação da doutrina espírita como auxiliar da moral e do bem viver, é a exposição do evangelho como roteiro de vida, não revidar grosseiras e tratar com amor quem ainda não conhece esse sentimento nobre.

Praticar a caridade é estar feliz quando se promove a felicidade do outro, é ter a certeza de estar no caminho do progresso espiritual. O grande bem de todos é feito nos pequenos gestos de cada um.

Compaixão é a vontade de minimizar a dor dos outros, compreender o outro, buscar beneficiar o outro diminuindo o seu sofrimento. É o agir para solucionar o que está afligindo o outro; é a aceitação e respeito pelas dificuldades alheias. É ação para melhorar a vida de quem não teve as mesmas oportunidades que as nossas. Não conseguir ficar indiferente, é a tristeza pela tristeza do outro. É a vontade que temos de livrar o próximo daquele sofrimento, acolher o outro.

A compaixão é a felicidade do outro na minha meta, o combate ao egoísmo. E a caridade é a vivência do bem.

Problemas fazem parte da dinâmica da vida de todos nós, devemos deixar de olhar só o próprio umbigo e começarmos a olhar para os outros e assim percebermos que podemos fazer diferença e somar forças na vida das outras pessoas.

O egoísmo separa e o amor une. Egoísmo é a raiz de todos os males e vícios, precisamos partilhar e participar, atuar no bem para nosso aperfeiçoamento moral e espiritual. Não praticar o bem quando temos condições é sintoma de imperfeição da alma.

Como podemos ser inertes com tantas desigualdades e injustiças sociais!? Não podemos mudar o mundo, mas podemos ajudar nas pequenas transformações. Não temos o poder de modificar os outros, mas podemos mudar a nós mesmos.

A doutrina espírita é favorável a tudo que reforce o amor, a caridade, solidariedade, as relações empáticas e de auxilio ao próximo. Precisamos acrescentar em nosso propósito de vida o ato de solidariedade e fraternidade, livres de condições e expectativas. Se ajudarmos alguém esperando receber algo em troca isso não é dar; é emprestar. Necessitamos cultivar uma cultura da generosidade e expandir nosso ideal. A gente é mais feliz quando caminha promovendo a felicidade dos outros.

Vamos caminhando com muitas energias positivas construindo uma sociedade mais justa e harmônica com a prática da caridade e da compaixão, iluminando nossas vidas.

Procurando o bem para os nossos semelhantes, encontramos o nosso.”( Platão)


-Referências Bibliográficas :

1- Kardec, Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo. Editora Federação Espírita Brasileira.2008.

2- Kardec, Allan. A GÊNESE . Editora Federação Espírita Brasileira, 2006.

3- Neto, Alexandre Caldine. A vida na visão do Espiritismo.Editora Sextante,2017.

4- Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos. Editora Federação Espírita Brasileira.2004

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Incorporação e possessão

     




    Fonte :
    Letra Espírita - Por : Silvio Junior

    Quando se fala em espiritualidade de modo geral, são diversos os temas tratados, onde por vezes alguns assuntos polêmicos dividem crenças e opiniões em relação a isso ou aquilo, no tocante a possíveis fenômenos observáveis através dos chamados “médiuns”, termo este criado por Allan Kardec durante a codificação do Espiritismo para identificar aqueles que serviam como meio de comunicação entre os planos material e espiritual.

    Leia mais...
  • Invigilância: a porta para a obsessão




    A existência dos fatores predisponentes - causas cármicas - facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propício da sintonia completa que almejam.

    Leia mais...
  • Suicídio inconsciente




    Fonte:
    Rádio Boa Nova - Por : Maria Izilda Netto

    Incontável o número de pessoas, em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveu que não era interessante continuar a viver.

    Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

    Leia mais...
  • A tristeza segundo Deus


    Por: Eduardo Rossatto

    Segundo Paulo de Tarso na sua segunda carta aos Coríntios (7:10), há dois tipos de tristeza: a tristeza segundo Deus e a tristeza segundo o Mundo. A segunda é a lamentação, as queixas e o tédio. Sofrimento inútil que não é sublimado e que se perde na letargia.

    Leia mais...
  • Injustiça e maldade

     

    Por: Eduardo Rossatto

    Nem sempre é fácil testemunhar injustiças e maldade. O mesmo ocorreu com Simão Pedro em um determinado dia, cerca de onze anos após a crucificação do Mestre, como Humberto de Campos (Irmão X) relata no capítulo 23 da obra "Contos desta e doutra vida".

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato