fbpx
HomeInformativoPais e filhosOs pais, os jovens e as drogas
Sábado, 27 Fevereiro 2021 15:17

Os pais, os jovens e as drogas




Por:
Wellington Balbo

Uma das grandes preocupações do mundo contemporâneo é pertinente às drogas, ou, melhor dizendo, o envolvimento dos jovens, nossos filhos, com elas.


E quando o fato ocorre em uma família, não raro os pais perguntam-se:

Onde foi que eu errei? E mil dúvidas perambulam pela cabeça de toda a família em busca de uma alternativa para a resolução de tão intrincado desafio. E fica outra pergunta: O que eu poderia ter feito para que isso não acontecesse?

Obviamente que não há uma receita para isto, até porque os filhos são espíritos imortais com bagagens e experiências, tendências e virtudes que desconhecemos.

São, também, dotados de livre arbítrio, além de não podermos vigiá-los 24 horas por dia para que não se envolvam com o mundo dos entorpecentes.

E o que fazer? O ideal é sempre antecipar. Dialogar muito com os filhos, interagir, participar de suas vidas e procurar identificar suas tendências.

Enfim, aproximar-se do filho, um contato de alma para alma.

Esta é, aliás, uma das grandes missões de quem recebeu pelas vias da reencarnação um espírito para orientá-lo.

Mas apenas o diálogo resolve, perguntarão alguns?

Óbvio que não daremos para tão complicada situação uma resposta simplista, de modo a fazer pensar que apenas dialogando iremos livrar nossos filhos das drogas. Todavia, consideremos que o diálogo e a participação na vida desses jovens é fundamental para aproximá-los de nós, abrindo caminhos para que nossos ensinamentos sejam melhor assimilados por eles.

Vale ainda destacar que muitos jovens adentram o universo do álcool bebericando aos 10, 11 anos nos copos de familiares que permitem que tal coisa ocorra.

Os familiares dizem apenas: Sim, você pode tomar um gole de meu copo! Não há a conversa, apenas a permissividade. Tudo pode, tudo vale! E a criança, de natureza curiosa, quer mesmo experimentar. Ah, mas a criança geralmente é um espírito velho envergando corpo frágil. E como fica se tiver tendência aos vícios? Como freá-los depois? Muitos casos assim, de jovens bebericando em copos de familiares, acabam dando enorme dor de cabeça não apenas aos pais, mas, sim à toda sociedade. Observemos, então, a negligência do comportamento.

Se sabemos que essas crianças ou jovens são espíritos que podem trazer de outras existências tendências às drogas, como podemos permitir que convivam desde idade infantil com elas? Encerro este curto texto, dizendo a você, caro leitor:

E, certamente, mais próximos de nossos filhos equivale a dizer que eles estarão mais longes das drogas.

Pensemos nisso.

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Os que foram para o lado de lá e voltaram para contar




    Fonte:
    Vozes Espíritas - Por: Wellington Balbo

    A médica suíça Elisabeth Kübler Ross (08 de julho de 1926 – 24 de agosto de 2004), passou décadas ao lado de pacientes em estado terminal. Sua experiência a fez escrever o livro “Sobre a morte e o processo de morrer”, em que apresenta o modelo de Kübler Ross a informar familiares e amigos de doentes terminais na melhor maneira de conviver com a situação.

    Read more...
  • A morte dói?

     




    Por:
    Orson Peter Carrara

    Quando morre alguém, sentimo-nos todos tomados por um sentimento de perda e dor. É natural, gostamos da pessoa e desejamos que continue vivendo conosco. Mas, a morte é a única certeza da vida e está enquadrada nos acontecimentos normais da existência de todo mundo. A todo instante, partem jovens e velhos, sadios e enfermos…

    Read more...
  • O tempo no plano espiritual

     




    Fonte:
    Letra Espírita - Por: Juliana Procopio

    É muito comum em momentos de despedidas após o desenlace de um ente querido ou uma pessoa conhecida que esteve doente, por exemplo, ouvirmos as pessoas se referirem a quem partiu com a expressão, “em fim descansou”.

    Read more...
  • A saúde pode ser afetada pela obsessão?




    Fonte:
    O Consolador - Por: Orson Peter Carrara

    Desafio está em conhecer a origem dos casos

    Uma interessante matéria publicada por Allan Kardec na Revista Espírita (1) utiliza a expressão loucura obsessional. O texto, que recomendamos aos leitores, é um estudo sobre os Possessos de Morzine, uma localidade em determinada região francesa, alvo de carta endereçada ao Codificador pelo capitão B. (membro da Sociedade Espírita de Paris e naquele momento radicado na cidade de Anecy). Allan Kardec publicou a carta na edição de abril (2), seguida de instruções dos Espíritos Georges e Erasto e ainda acrescentou lúcido comentário sobre a questão. Depois, na edição de dezembro (3), voltou ao assunto, desdobrando-o em bem argumentada análise.

    Read more...
  • Depressão em jovens e adolescentes




    Fonte:
    Correio Espírita - Por: Fátima Moura

    Tenho ouvido muitos relatos de pais e familiares preocupados. A depressão entre jovens, adolescentes e até crianças parece estar aumentando de modo assustador e o assunto também tem sido focado em nossas palestras, sempre que somos convidados a falar sobre temas ligados à família.

    Read more...

Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro



Conheça nosso clube do livro.


Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato