fbpx
HomeChicoChico Xavier e a caridade
Terça, 28 Dezembro 2010 22:23

Chico Xavier e a caridade

Durante toda sua vida, Chico Xavier viveu humildemente de sua parca aposentadoria.

Cedeu todo os direitos autorais de seus mais de 400 livros psicografados para Organizações Espíritas e Instituições Sociais.
O médium não aceitava nem mesmo presentes. Quando desejavam lhe ofertar dinheiro, ele recusava e dizia: “Ajude o primeiro necessitado que encontrar”.

Ao longo de sua existência, visitou muitos hospitais, presídios, orfanatos, asilos, mesmo enfrentando sérios problemas de saúde.

Mesmo com dificuldade de locomoção, saia às ruas em visita de auxílio.

Contribuiu intensamente na Assistência Social, onde ia até as áreas carentes e bairros da periferia da cidade para distribuir cestas de alimentos e remédios.

No Natal chegava a visitar centenas de pessoas numa peregrinação que começava no início da noite do dia 24 e ia até a madrugada do dia 25.

 

Chico organizou vários grupos de voluntários para visitar presídios e orientar os detentos condenados a longas penas, que encontravam dificuldades quando saiam da prisão.

Sempre no dia das Mães, reunia os amigos e visitava os presídios. Cumprimentava e distribuía algum dinheiro e conversava com os detentos, nunca lia o Evangelho.

Fazia entretanto, uma prece, ao qual só ouviam os interessados.

Costumava dizer: “Não poderia me aproveitar do fato deles estarem atrás das grades para dar sermão”

Para Chico, vir ao encontro do povo mais humilde e ajudar os necessitados era uma missão e assim este abnegado espírito de luz, fez de sua vida um exemplo a ser seguido por todos nós.

 

Last modified on Segunda, 06 Julho 2015 19:02

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Incorporação e possessão

     




    Fonte :
    Letra Espírita - Por : Silvio Junior

    Quando se fala em espiritualidade de modo geral, são diversos os temas tratados, onde por vezes alguns assuntos polêmicos dividem crenças e opiniões em relação a isso ou aquilo, no tocante a possíveis fenômenos observáveis através dos chamados “médiuns”, termo este criado por Allan Kardec durante a codificação do Espiritismo para identificar aqueles que serviam como meio de comunicação entre os planos material e espiritual.

    Leia mais...
  • Invigilância: a porta para a obsessão




    A existência dos fatores predisponentes - causas cármicas - facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propício da sintonia completa que almejam.

    Leia mais...
  • Suicídio inconsciente




    Fonte:
    Rádio Boa Nova - Por : Maria Izilda Netto

    Incontável o número de pessoas, em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveu que não era interessante continuar a viver.

    Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

    Leia mais...
  • A tristeza segundo Deus


    Por: Eduardo Rossatto

    Segundo Paulo de Tarso na sua segunda carta aos Coríntios (7:10), há dois tipos de tristeza: a tristeza segundo Deus e a tristeza segundo o Mundo. A segunda é a lamentação, as queixas e o tédio. Sofrimento inútil que não é sublimado e que se perde na letargia.

    Leia mais...
  • Injustiça e maldade

     

    Por: Eduardo Rossatto

    Nem sempre é fácil testemunhar injustiças e maldade. O mesmo ocorreu com Simão Pedro em um determinado dia, cerca de onze anos após a crucificação do Mestre, como Humberto de Campos (Irmão X) relata no capítulo 23 da obra "Contos desta e doutra vida".

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato