fbpx
HomeInformativoInstituiçõesClinica Nova Consciência de Capivari
Sexta, 10 Fevereiro 2012 19:05

Clinica Nova Consciência de Capivari

COMPLETA DOIS ANOS DE EXISTÊNCIA

Por: Rita Ramos Cordeiro

No dia 25 de janeiro, a Comunidade Psicossomática Nova Consciência da cidade de Capivai, completou dois anos, de existência e foi fundada com o objetivo de trabalhar a recuperação de jovens e adultos.

É coordenada por Saulo Rodrigues de Camargo, técnico em acolhimento em dependência química pela UNIFESP e orientada por Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo, especialista em dependência química, bacharel em direito e administrador de empresa.

Nesta entrevista, Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo, um dos diretores, nos conta sobre a Clínica Nova Consciência.

Para conhecer mais sobre a Clínica Nova Consciência, acessem www.comunidadenovaconsciencia.com.br

 

Quando foi fundada a Comunidade Nova Consciência?
A fundação da clínica ocorreu em 25 de janeiro de 2010, portanto estamos comemorando com muita satisfação que muitos jovens em recuperação estão limpos com dois anos.

Como surgiu a Comunidade Nova Consciência?
Compreendendo que existem diversos saberes e que devem ser respeitados, mesmo como espírita há quase 40 anos de trabalho no Centro Espírita, com palestras e trabalhos de desobsessão, vi que existiam ainda muitas outras informações para serem apreendidas em relação à dependência química. Frequentamos também o Amor Exigente, o Nar-Non, e as reuniões abertas de Narcóticos Anônimos e Alcoólatras Anônimos, que muito me enriqueceram de conhecimento, experiência e fé em recuperação do álcool e da droga. Fiz dois cursos de especialização, um junto a FEBRATC em Campinas por 15 dias diretos e outro na USP, no GREA no setor de Psiquiatria, por dois anos. Somente então resolvemos fundar a Nova Consciência.

Qual o objetivo da Comunidade?
O objetivo da Nova Consciência é trabalhar a recuperação de jovens e adultos alicerçada num tripé: desintoxicação, conscientização e espiritualidade. Contamos com o acompanhamento médico, psicológico, terapêutico, físico, esportivo e espiritual.

Quantas pessoas comportam o atendimento atualmente?
Nossa capacidade na chácara Cancian onde nos localizamos no momento é para atendimento de até 18 pacientes. E temos um projeto de construção, com terreno já adquirido, de acordo com as normas da ANVISA, para atendimento de até 20 pacientes. Nosso objetivo não é financeiro e, sim, espiritual. Tratar com humanidade os pacientes, fazer o desenvolvimento da conscientização e espiritualidade dos jovens.

Quantas pessoas são atendidas no ano?
O nosso atendimento é em regime de internato, de quatro a seis meses, e atendemos em média 45 pacientes por ano.

Quantos profissionais trabalham na Clínica e quais áreas ocupam?
Temos uma médica que faz acompanhamento dos pacientes; dois psicólogos, um que faz atendimento individual e em grupo e outro que faz terapia ocupacional com atividades também de mosaico; temos dois técnicos em dependência química que fazem conscientização e prevenção de recaída; um coordenador técnico em acolhimento em dependência química, juntamente com outros três monitores que fazem a programação de metas em recuperação; um especialista em dependência química que trata das causas e efeitos do fumo, álcool e drogas; e dois especialistas em dependência química que também tratam da espiritualidade.

Há voluntários colaborando com a Instituição?
Sim, temos três voluntários que são dois técnicos em dependência química e uma médica. Como é levado muito a sério o trabalho de recuperação e preservação do anonimato, não abrimos a instituição para o grande público, é preciso possuir algum requisito técnico para participar de suas atividades. Levamos todo mês pessoas da sociedade para dar depoimento de sua vida, trabalho, família e fé, e também convidamos oradores para palestras nas diversas áreas de interesse dos internos, como: DST/AIDS, nutrição/alimentação, espiritualidade e saúde.

A Clínica é uma Instituição sem fins lucrativos?
A Comunidade Psicossomática Nova Consciência Ltda.-ME é uma prestadora de serviço, são dois sócios, em cujo contrato social, disponibiliza vagas sociais (gratuitas ou com pequeno valor) em número de quatro pacientes por período de tratamento de quatro a seis meses.

Como a Comunidade Nova Consciência se mantém?
Através do pagamento da mensalidade dos familiares dos internos ou mesmo do afastamento do trabalho junto ao INSS.  Como desde o início tem um déficit de três a quatro mil reais por mês, essa deficiência é coberta pela contribuição da Editora EME, que, inclusive, custeou todas as instalações e aquisição de veículos e equipamentos.

As internações da Clínica Nova Consciência são gratuitas?

Não, mas disponibilizamos algumas vagas sociais para pacientes da cidade de Capivari. Não temos convênios com Prefeituras ou governos.

Quem sempre manteve a Clínica Nova Consciência foi a Editora EME. O custo da internação hoje (outubro de 2014) é de R$ 1.750,00 mensal e podemos parcelar para quatro meses de tratamento, em 10 vezes de R$ 750,00 em cheques. Entretanto, em caso de famílias com dificuldades financeiras estudamos valores dentro da condição social familiar. Nosso objetivo é auxiliar a família e o paciente.

O espaço físico da clínica é próprio?
O espaço é alugado, contamos com o apoio da família proprietária do imóvel que proporcionou um valor bem acessível e fizemos todas as adaptações necessárias para funcionamento, inclusive legalizações junto à Prefeitura, SAAE, Corpo de Bombeiro e Vigilância Sanitária.

Quais as oficinas, cursos e práticas esportivas desenvolvidos?
Temos oficinas terapêuticas com os psicólogos, videoterapia com especialista em dependência química, curso de mosaico e atividades esportivas de musculação três vezes por semana na Academia Aquarius, fora da instituição, e também na Chácara da Editora EME, eles participam de prática de futebol, natação e pescaria duas vezes por semana. Fazemos também um trabalho mensal com as famílias dos internos, no segundo sábado de cada mês, com participação de psicólogos e técnicos em DQ, no tratamento da codependência.

Como é desenvolvida a parte espiritual do tratamento?
Somos espíritas e respeitamos todas as religiões, os internos são levados a assistir as palestras públicas que são realizadas no Centro Espírita Mensagem de Esperança; aqueles que desejam recebem passes e tomam água fluidificada. Realizamos à distância o trabalho de desobsessão, sem a presença dos pacientes, no Centro uma vez por semana. Na clínica são feitas duas palestras sobre espiritualidade com oportunidade de perguntas e respostas e estudos sobre a moral cristã com ênfase nos princípios da Doutrina Espírita: Deus, imortalidade, reencarnação, comunicação dos espíritos, pluralidade de mundos habitados, lei de causa e efeito etc.

Como é ver todo o trabalho desenvolvido dando resultados para muitas pessoas?
É um satisfação muito grande, depois de ver um familiar transitar por diversas clínicas e encontrar a recuperação, aproveitar dessa experiência e selecionar as melhores atividades e a prática do amor na recuperação dos jovens e adultos. Temos exemplos de pacientes que usavam medicação, cigarro e drogas e que estão livres de todos eles, hoje. Aprendemos, também, que a adicção não tem cura, mas, tem recuperação.E nestes dois anos, vimos dois adultos depois de recuperados, recairem e cometerem o suicídio em cidades diferentes. O trabalho é nosso, o resultado é de Deus.

O que você sente no final de cada reabilitação?

No final do tratamento fazemos uma sessão de desligamento do paciente, onde seus familiares são chamados a participar e cada interno também fala um pouco sobre aquele que está concluindo o tratamento. São muitas lágrimas dos familiares, internos e nossas também

 

{gallery}fotos/2012/02/08/clinica{/gallery}

Last modified on Segunda, 14 Outubro 2019 16:39

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • Incorporação e possessão

     




    Fonte :
    Letra Espírita - Por : Silvio Junior

    Quando se fala em espiritualidade de modo geral, são diversos os temas tratados, onde por vezes alguns assuntos polêmicos dividem crenças e opiniões em relação a isso ou aquilo, no tocante a possíveis fenômenos observáveis através dos chamados “médiuns”, termo este criado por Allan Kardec durante a codificação do Espiritismo para identificar aqueles que serviam como meio de comunicação entre os planos material e espiritual.

    Leia mais...
  • Invigilância: a porta para a obsessão




    A existência dos fatores predisponentes - causas cármicas - facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propício da sintonia completa que almejam.

    Leia mais...
  • Suicídio inconsciente




    Fonte:
    Rádio Boa Nova - Por : Maria Izilda Netto

    Incontável o número de pessoas, em dado momento de suas existências, por motivos variados, resolveu que não era interessante continuar a viver.

    Fosse a existência contida nos limites do berço ao túmulo, sem dúvida, o suicídio seria a grande solução para os problemas e dores da Terra.

    Leia mais...
  • A tristeza segundo Deus


    Por: Eduardo Rossatto

    Segundo Paulo de Tarso na sua segunda carta aos Coríntios (7:10), há dois tipos de tristeza: a tristeza segundo Deus e a tristeza segundo o Mundo. A segunda é a lamentação, as queixas e o tédio. Sofrimento inútil que não é sublimado e que se perde na letargia.

    Leia mais...
  • Injustiça e maldade

     

    Por: Eduardo Rossatto

    Nem sempre é fácil testemunhar injustiças e maldade. O mesmo ocorreu com Simão Pedro em um determinado dia, cerca de onze anos após a crucificação do Mestre, como Humberto de Campos (Irmão X) relata no capítulo 23 da obra "Contos desta e doutra vida".

    Leia mais...

Cadastre-se em  nosso informativo :

 


 




Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato