fbpx
HomeInformativo Entrevistas

Entrevistas

Quinta, 05 Setembro 2013 23:24

Entrevista com Jenete Vilela Souza

Orson Peter Carrara – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

No interior goiano

Experiência de Mineiros-GO na atividade espírita Mineiros, no interior goiano, teve sua instituição pioneira fundada em 1975 Jenete é espírita desde 1992 e preside a Comunidade Espírita Allan Kardec, instituição fundada e mantida na cidade onde nasceu e também reside. Professora e advogada, relata sua experiência com a Doutrina e com o movimento espírita na cidade.

1 - Situe MINEIROS no aspecto demográfico, econômico e social para o leitor
Mineiros é uma cidade de mais ou menos 55 mil habitantes, localizada no sudoeste goiano, tendo como base econômica o agronegócio. Na última década a cidade cresceu muito, mais que a média nacional, em razão da abertura de indústria na região para atender a demanda do agro negócio. Isto possibilitou um fluxo migratório muito grande na cidade, acarretando problemas sociais tais como, falta de moradia, escolas, hospitais super lotados, o trânsito aumentou, com isso aumentou o número de acidentes e a violência urbana.

2 - Qual a instituição pioneira na cidade? Quando foi fundada? Por quem?
Comunidade Epírita Allan Kardec, que foi fundada em 1975 pelo casal: Aloísio de Assis Paniago e sua esposa Olinda Gomes Paniago.

3 - Na experiência com a instituição a que se vincula, na cidade, qual o fato mais marcante que gostaria de transmitir aos leitores?
Não há um fato isolado, mas inúmeros momentos de estudos, encontros, atendimento aos necessitados que nos procuram. Teve um momento que nos emocionou muito, foi linda, a presença do Sr. Aloísio já desencarnado, em um encontro se manifestando e nos dando esperança de que estávamos no caminho certo.

                                                                   Por: Rita Ramos Cordeiro

Vania Mugnato de Vasconcelos é curitibana, casada há 15 anos com o Engenheiro Químico Ricardo e mãe de um garoto de 12 anos, chamado Thiago. Reside no interior de São Paulo, na cidade de Jundiaí, há 9 anos, é colaboradora do Centro Espírita João Batista, no Bairro do Anhangabaú, dentre outros nos quais é palestrante frequente. Esposa, mãe, espírita e idealista, fez magistério, é Assistente Social, pós-graduada em Recursos Humanos e estudante de quarto ano do curso de Direito, atualmente também Estagiária da Defensoria Pública do Estado na área de Família e Sucessões.

Palestrante há cerca de 10 anos, Vania volta a contribuir com o Instituto Chico Xavier, desta vez no Seminário Família – Desafio e Importância em nossas vidas, que acontecerá em Itu – SP no dia 05.10, abordando o tema “O lar, os valores morais e os desafios do mundo. "

Saiba mais sobre a palestrante e o tema que abordará, acompanhando a entrevista abaixo.

  1. 1. Há dois anos você vem realizando Seminários em parceria com o Instituto Chico Xavier. Como foi para você estes dois anos de parceria?

 

Antes de qualquer coisa, sou extremamente grata ao Instituto, pela confiança e oportunidades. O ICX me fez ampliar horizontes... trouxe-me possibilidades novas, contato e amizade com outros palestrantes de qualidade, muito dedicados e de índole nobre.  O mundo se tornou maior depois que eu, simples palestrante de uma cidade do interior, percebi que meus ideais têm parceria com outros idealistas!

 

  1. 2. Você tem realizado palestras por toda região de São Paulo. Como você entende que está sendo realizada a divulgação da Doutrina Espírita por onde passa?

 

Os espíritas continuam sendo muito receptivos às palestras, divulgam, dizem que querem participar, mas noto um aumento do seu comodismo. Explico: por mais que os temas empolguem, que muitos perguntem se haverá como assistir ou ouvir a palestra virtualmente, no dia e hora poucos aparecem para compartilhar momentos de fraternidade e conhecimento; as casas espíritas raramente lotam se o palestrante não for autor de um livro ou orador do naipe de um Divaldo. Frio, chuva e tardes de sábado também não são nada estimulantes aos espíritas... o que me faz ponderar que talvez estejamos perdendo um pouco da essência, do sentido de realmente estarmos na Terra. Quando pequenos contratempos nos colocam rapidamente no lugar mais cômodo ou quando nos estimulamos muito mais pelas aparências, é hora de nos preocuparmos.

Sexta, 02 Agosto 2013 11:03

Entrevistando Claudia Mandato Gelernter

“Independentemente do tempo a ser gasto e da quantidade de lágrimas ou sorrisos emanados por nossas almas, todos conseguiremos atingir os objetivos, pois esta é a finalidade de nossa existência – a de gravitarmos em torno do Criador.”


Claudia Mandato Gelernter, nossa entrevistada desta semana, nasceu na cidade de São Paulo, e reside atualmente em Vinhedo – SP. É casada e mãe de Juliana e Gabriel. 

Espírita estudiosa há mais de 25 anos, Claudia é uma das fundadoras do CE Allan Kardec de Vinhedo.  É formada em Psicologia e Tanatologia e ministra palestras e Seminários onde é solicitada.

Claudia estará presente no Seminário Família – Desafio e Importância em Nossas Vidas, que será realizado em Itu no dia 05.10, promovido pelo Instituto Chico Xavier.

Para conhecer mais de seu trabalho, basta acessar o blog http://claudiagelernter.blogspot.com

1. Você vem realizando Seminários sobre o tema “Transição Planetária – O Sentido de Urgência”, em parceria com a oradora Vania Mugnato de Vasconcelos.  Conte-nos como surgiu esta ideia.
R: Algum tempo atrás, li uma obra que leva praticamente o mesmo título do Seminário: o livro “A Grande Transição da Terra – O Sentido de Urgência”, de Denis Moreira. Tal leitura causou-me forte impressão, tanto por sua profundidade como por sua intenção e seriedade, levando-me a estudar mais sobre os assuntos ambientais, nossa relação com o meio, etc. Pouco tempo depois contatei o autor, que por sinal tornou-se um querido amigo por quem nutro profunda admiração e respeito, pedindo autorização para divulgar seus estudos acerca do grave momento que atravessamos em nosso planeta e o nosso papel diante deste quadro. De lá para cá temos, eu e Vania, levado ao público tais informações, entendendo que se trata de um sério (e urgente) compromisso existencial.

2. Defina para nossos leitores o que é Transição Planetária e qual seu sentido de urgência.R: Vou buscar a resposta com o próprio Denis, que diz:“Podemos afirmar que se trata de sinergia de um conjunto de fatos e fenômenos que funciona como elo entre o fim de um ciclo evolutivo e o início de outro. No entanto, para mim, a melhor definição é que A Grande Transição é um estado de espírito, pois o choque dos acontecimentos promoverá uma profunda transformação no íntimo do que somos e do que seremos” (MOREIRA, p. 26)

Segundo Emmanuel, o orientador espiritual de Chico Xavier, passamos por uma primeira transição quando deixamos a fase animal, adentrando a hominal. Agora, estamos saindo do modelo de provas e expiações para um mundo de regeneração. Importante salientar que se trata de um mundo de regeneração e não de mundo já regenerado, ou seja, temos um longo e árduo trabalho pela frente.

 

Por: Rita Ramos Cordeiro

 

Nosso entrevistado desta semana é Claus-Peter Willi, residente na cidade de Itu – SP e natural de Groetzingen – Alemanha.

Claus é formado em administração de empresas e atualmente trabalha como Coordenador de Negócios Internacionais.

É espírita há doze anos, e atua como palestrante nas Casas Espíritas de Itu.

Claus-Peter Willi estará presente no Seminário promovido pelo Instituto Beneficente Chico Xavier, no dia 05.10, abordando o tema “Filhos Adotivos – Amor em ação”. Saiba mais sobre este tema tão importante, acompanhando a entrevista abaixo.

A qual Casa Espírita está vinculado e que colaboração presta na Casa?
Neste momento estou mais vinculado ao Grupo de Apoio Joanna de Ângelis onde atuo como palestrante / passista. Na realidade profiro palestras em várias Casas além de colaborar com Cursos e Oficinas mantidas pelas mesmas.


Como iniciou seu trabalho como palestrante e há quanto tempo?
Não sei exatamente quando começou, mas creio que fazem 12 anos. Foi na Associação Espírita Cabaninha de Antonio de Aquino.

Você abordará o tema: “Filhos Adotivos – Amor em Ação, em sua palestra no Seminário que será promovido pelo Instituto Chico Xavier em Itu – SP no dia 05.10. Em sua opinião, qual a maior dificuldade nos dias de hoje de se encontrar um família adotiva para crianças abandonadas?
Por conta de minha experiência pessoal e via acompanhamento de grupos de apoio nas redes sociais pude observar que esta “dificuldade”, – no que diz respeito aos órgãos públicos, tem direta relação com o despreparo- via de regra- das pessoas ligadas à área. Apesar de todo o avanço em termos de legislação quanto ao assunto, o despreparo ainda é muito grande. Não podemos dourar a pílula nesta questão. Apesar de muita energia e verba pública ser dispendida no que diz respeito ao estímulo à adoção, os menores ainda são vistos apenas como processos numerados empilhados nas diversas instâncias do Poder Público esquecendo-se que são seres humanos com carências imediatas. À medida que a tradicional morosidade do Poder Público segue seu curso habitual, estas crianças vão crescendo e as chances de serem adotadas vão diminuindo proporcionalmente e eu diria numa progressão geométrica. Finalmente quando os passos processuais já estão prontos para disponibilização da criança à adoção ela já está na faixa daquelas que terão apenas 1 % de chances de encontrarem um lar.

Há três anos você adotou uma criança. Nos conte como foi esta experiência.

Bem, não creio que possa em poucas linhas sintetizar esta experiência.

As dificuldades, decepções, momentos de angústia, de sentimento de invasão de privacidade por parte de técnicos e psicólogos envolvidos no processo de candidatura à adoção, de expectativa por um telefonema que nunca chegava, de olhares esperançosos recebidos de crianças que queriam um lar não foram poucas.

Quinta, 04 Julho 2013 01:35

Entrevista com Laurte Godoy

Do esporte a Santos Dumont - Mediunidade, esporte e interesse por pesquisa histórica

Orson Peter Carrara – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Legenda: Lauret, ladeada por Príncipe D.João (E),
bisneto da Princesa Isabel e pelo repórter Saulo Gomes (D).
Crédito da foto: Odenir Rocha

Com pseudônimo literário de Lauret Godoy, nossa entrevistada é natural de Santos e reside na capital paulista. Professora de Educação Física, com especialização em Administração Esportiva, possui vários livros publicados e larga experiência com o esporte. Igualmente muito ligada à pesquisa histórica, suas respostas surpreenderão o leitor. Espírita há 20 anos, vincula-se ao Grupo Espírita Batuíra, em São Paulo, e vincula-se à área mediúnica e no atendimento de passes, além de voluntária nos trabalhos da instituição.

1 - Fale de sua experiência ligada ao esporteSou de Santos, cidade que muito privilegiava a prática esportiva. Na juventude praticava e disputava basquete, vôlei e atletismo pelo Colégio Canadá.Defendendo a cidade de Santos em Jogos Abertos, apenas Atletismo. Iniciei-me em provas de velocidade aos 10 anos de idade. Quando mudei para São Paulo, passei a defender o C. A. Paulistano. Fui campeã paulista, brasileira e, após obter o título de campeã Sul-Americana, em torneio realizado em Lima – Peru, abandonei o esporte. Precisava cuidar da vida...

 

Sexta, 28 Junho 2013 00:09

Entrevista com Jovina Nevoleti Correia

Entrevista com JOVINA NEVOLETI CORREIA

Orson Peter Carrara – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

A expressão espírita de Dourados no Mato Grosso do Sul

Segunda maior cidade no Estado é dinâmica na atividade espírita e influi toda a região

Membro do Conselho de Administração da Federação Espírita do Mato Grosso do Sul e Coordenadora da União Regional Espírita de Dourados, espírita de nascimento e igualmente filiada ao Centro Espírita Bezerra de Menezes, na mesma cidade onde nasceu e reside, Jovina é advogada e fornece uma visão geral da cidade e do movimento espírita regional.

1 - Situe para o leitor a cidade da Dourados, em seus aspectos geográfico, social e  econômico
Dourados está situada no centro sul do Estado é a segunda maior cidade do Estado de Mato Grosso do Sul, é considerada pólo regional de desenvolvimento para onde convergem pessoas de mais de 30 municípios em busca da prestação de serviços, sobretudo de saúde, educação, comércio e escritórios de  tecnologia. É considerada uma cidade Universitária, pois possui quatro universidades, sendo duas públicas (Federal e Estadual) e duas privadas de grande porte (Unigran e Anhanguera) e uma Faculdade de Teologia.

2 - Situe a região de Dourados no contexto do Estado e região.
A região de Dourados é a que possui maior densidade demográfica do Estado, em torno  de um milhão de habitantes, região altamente produtiva de grãos (soja) e bovino, e agora mais recentemente a produção da cana de açúcar e a industria sucroalcooleira.

3 - Quantas instituições espíritas na cidade? e na região?
Dourados possui 12 Centros Espíritas. A jurisdição da União Regional Espírita de Dourados possui 29 Centros Espíritas, pois além dos 12 de Dourados, possui 1 em Itaporã, 2 em Maracaju, 2 em Rio Brilhante, 1 em Douradina, 1 em Fátima do Sul, 1 em Caarapó, 2 em Navirai e 5 em Ponta Porã,, 1 no Distrito de Indápolis e 1 no Distrito de Culturama.

A vida de Chico Xavier

Cadastre no nosso informativo

Informativo

  • O que são espíritos agêneres?




    Fonte: Rádio Boa Nova 

    Você já ouviu falar em espíritos agêneres? O que a doutrina espírita fala sobre o assunto? Confira as considerações a seguir.

    Leia mais...
  • O tempo no plano espiritual




    Fonte:
    Letra espirita - Por: Juliana Procopio

    É muito comum em momentos de despedidas após o desenlace de um ente querido ou uma pessoa conhecida que esteve

    doente, por exemplo, ouvirmos as pessoas se referirem a quem partiu com a expressão, “em fim descansou”.

    Leia mais...
  • Raciocinar a fé para que a fé não raciocine por nós.

     




    Por:
    Wellington Balbo

    Quando Kardec codificou o Espiritismo, século 19, sua ideia passou bem longe de construir uma nova religião ou transformar seus livros numa espécie de bíblia com recheio de dogmas.

    Nada disso.

    Leia mais...
  • Espíritos de pessoas em Coma




    Por:
    Letra Espírita - Por: Isabel Miranda

    Como espíritas, aprendemos que cada encarnação se presta a acrescentar novos aprendizados, reparar erros do passado ou até mesmo cumprir missões importantíssimas ao avanço da humanidade.[1]

    Leia mais...
  • Orar é abrir a alma a Deus

     



    Por:
    Vania Mugnato de Vasconcelos - Imagem: Pixabay

    "E não duvideis de que um só desses pensamentos, partindo do coração, é mais ouvido por vosso Pai celestial do que as longas preces repetidas por hábitos". (O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII, Modo de Orar). O brasileiro é um povo eminentemente religioso.

    Leia mais...

Clube do Livro Emmanuel


Desde 2010 divulgando a Doutrina Espírita.


Clube do livro




Todo mês um livro novo em sua casa.
Clique aqui e cadastre-se.

Clube do livro

Conheça nosso clube do livro.

Receba todo mês um livro na sua casa.


Cadastre-se aqui para aproveitar.

Contato